Peacemaker (colt.45) – A arma mais usada no Velho Oeste

A arma mais frequentemente usada no Velho Oeste (1850-1890) era a Colt .45, que mais tarde veio a ganhar um apelido irónico de Peacemaker, ou Pacificador, em português.

Screenshot_5
Colt do Billy no jogo

O nome Peacemaker surgiu nomeadamente por não haver um Xerife sempre presente para ajudar a população em geral e visto que este foi um periodo com muitos confrontos e as saltos, os donos das quintas precisavam de uma arma para se defender à altura dos agressores, então praticamente toda gente por esta altura possuia uma Colt 45, por ser extremamente fácil de usar e barata e tinha também uma excelente eficácia.

Screenshot_3
Colt 45. (Peacemaker) original do Billy the Kid

Este revolver em particular, foi também muito usado por uma figura lendária do Velho Oeste, Billy the Kid, que supõe-se ter adquirido a mesma após ter trabalhado para um agricultor inglês chamado John Tunstall, que foi mais tarde assassinado e por quem Billy the Kid jurou vingança.

ENTREVISTA Tribos: Líder da tribo vencedora do mundo PT 28: -DarK-

ENTREVISTA AO LÍDER DA TRIBO VENCEDORA DO PT28

Antes de começarmos a entrevista, gostaria, em nome do suporte do Tribos, de te felicitar pela vitória conseguida no mundo 28, e agradecer por partilhares conosco a tua experiência enquanto líder da tribo vencedora.
1- Antes de irmos ao factor jogo propriamente dito, fala-nos um pouco da tua vida pessoal. De que te ocupas durante os dias além do Tribos?

Tenho 23 anos, sou web developer e estudante de engenharia informática em regime pós laboral. Para além disso tento estar com a familia e amigos e claro, muita copofonia 😀
2- Qual foi o primeiro mundo que jogaste? Como foi essa experiência inicial?

Entrei em vários mundos mas o primeiro mais a sério foi o pt22. Conheci muita gente e criaram-se laços que ainda hoje perduram.

3- Se tivesses que fazer um auto-retrato sobre a tua liderança, que palavras-chave escolherias e porquê?

Justo, icentivador, liberdade – Penso que sempre fui o mais justo possível no entanto não se pode agradar a gregos e a troianos, sempre tentei icentivar a malta nas alturas mais complicadas, muitos sittings às costas e sobretudo sempre ouvi as opiniões dos outros deixando-os ter liberdade para tomar decisões pois estávamos todos a trabalhar para o mesmo. Mais que um líder, temos de ser mais um a remar para o mesmo lado.
4- Qual foi o vosso primeiro objetivo no mundo enquanto tribo?

Entramos no pt28 como premade, um projeto que incialmente eu só viria ajudar e sem responsabilidades o que passado algum tempo se tornou uma realidade. Com a falta de tempo dos outros líderes, fui digamos que automaticamente nomeado para suportar a tribo provisoriamente o que acabou por durar o resto do mundo.
5- De entre as várias fases do mundo, qual foi a que trouxe mais dificuldades à Velha Guarda?

A fase de que me recordo em que estivemos mais aflitos foi quando um grupo decidiu virar a casaca e começar a apoiar o inimigo. Para ajudar tinhamos uma fronteira enorme e que muitos de nós estavamos em várias zonas a defender ao mesmo tempo. A juntar a isso temos os inativos que são sempre complicados de gerir, nunca sabemos se voltam mesmo, se devemos absorver ou tentar segurar o maximo a conta.
6- Houve alguma coordenado vosso que tenha corrido menos bem? Como fizeste para inverter a situação?

Houve coordenados a não conquistarmos nada ou simplesmente conquistar uma aldeia ou duas. A solução foi reunir novamente a malta e voltar a atacar, podemos nao conquistar mas matamos defesa e uma coisa todos sabíamos, a defesa demora mais a refazer logo era uma questão de tempo até conseguirmos aquilo que queríamos – destruir os bunkers. Entretanto variávamos nas frentes para mexer com a defesa deles, atacávamos aleatoriamente etc. Foi muito tempo de jogo como podes calcular foram inumeros coordenados das mais diversas formas inclusive a forma descoordenada 😀 (simplesmente tudo para cima deles!!! carreguem-lhes!)
7- Qual foi o vosso coordenado mais bem sucedido em termos de aldeias conquistadas?

… difícil escolher um, todos foram importantes para o chegarmos onde chegamos. Pelo menos sempre foi esse o nosso pensamento. Ganhar, ganhar e ganhar.
8- Podemos afirmar que a tribo que mais vos atrasou na chegada à vitória no mundo foi a 666, ou consideras que houve outra mais complicada?

Obviamente a 666 foi a mais complicada pois para além de ter sido nossa aliada a maior parte do tempo do mundo e ter forçado uma guerra connosco criando conflitos constantes (devido a alguns membros que tinha na altura amigos da antiga RUN). Tambem a RUN foi uma guerra forte e que durou bastante tempo. Esta já teria rivalidade com muitos de nós uma vez que muitos deles tinham sido adversários da Velha Guarda no pt22 de onde viemos vários jogadores.
9- Quais são os colegas em quem mais confias no Tribos e na Velha Guarda e que te ajudam nos períodos difíceis do jogo?

São muitos, muitos assim como eu já estão reformados do jogo outros não sei do que é feito deles pois apesar de termos os contactos uns dos outros cada um tem a sua vidapessoal fora do jogo e à qual se dedica agora. Mas alguns nomes são Biogul, Dj Fénix, 4SakenMafia, AntunVanOut, Tekker3000, Skyblue entre muitos outros não menos importantes mas estes foram aqueles que sempre estiveram lá para o que era preciso. Desde planear coordenados, defesas, segurar uma conta, atacar com outra etc etc. contudo todos foram fundamentais para vencer o mundo. A todos as maiores felicidades e preparem-se pois um dia podem ser convocados para mais uma guerra!
10- Jogas atualmente em algum mundo ou pensas vir a jogar?

Para já não estou a jogar em nenhum mundo pois a minha vida não o permite. No futuro nunca se sabe senão voltamos a entrar todos para vencer mais um :p
11- Que ensinamentos achas que deves deixar aos aspirantes a líderes do servidor português?

Levem as coisas com calma, respeitem-se uns aos outros, sejam pessoas de palavra e unidos aos vossos membros. Não se esqueçam que podem ser lideres mas tambám são mais um soldado a lutar ao lado deles. Divididos cairemos, unidos venceremos.
12- Para terminar, o que mudarias no jogo?

Penso que o jogo está ir muito para o caminho de quem tem dinheiro é que ganha servidores, compreendo que o jogo tem custos mas não precisam de abusar. Estão a afastar quem vem jogar pelo divertimento e pela competição para ficarem apenas com quem gasta dinheiro à parva aqui. Tornaram um ciclo vicioso, se o jogador A gasta X, o jogador B 90% das vezes terá de o fazer também para o acompanhar. Basta avaliar os inicios dos mundos, quem compra muito recurso facilmente se destaca dos outros. É a diferença entre demorar 1 semana até a primeira conquista ou demorar 1 mês.

A Helénica

Olá Maltinha do Blog,

Trago-vos hoje uma novidade para a comunidade Grepoliana!

Como já tinham sido informados no decorrer do ano 2016 iriam existir grandes novidades no jogo, mas também fora dele já está On-Line o novo Fórum Externo com uma maior versatilidade e futurismo apresentado, mas a nossa equipa não ficou só por aqui, decidiu ir um pouco mais além…

Apresentamos-vos assim a mais recente novidade a Helénica.

O que é a Helénica?

A Helénica é um jornal que fala um pouco de tudo, engloba assuntos do jogo, política, desporto, anedotas e outros passatempos. O objetivo deste jornal passa para dar algum conforto aos leitores, será de uma leitura fácil para proporcionar fontes de relaxamento e descontração ao jogador e também ficar a par das novidades, também nunca esquecendo a comunidade Emigrante que joga o jogo no nosso Servidor.

Agora basta ficarem atentos, ao nosso fórum e redes-socias que irá ser lançado o jornal mensalmente com as mais recentes novidades, até lá divirtam-se no jogo e no nosso blog.

Vê a primeira edição aqui:

Agencia Pinkerton

list-pinkerton-private-eye

A Agência Nacional de Detetives Pinkerton foi uma agência de investigação e segurança particular fundada nos Estados Unidos da América em 1850 por Allan Pinkerton, detetive que ficou famoso ao desmontar uma conspiração para o assassinato do presidente Abraham Lincoln.

Allan-Pinkerton-thumb

A maior parte dos contratos da Pinkerton giravam em torno de evitar que grevistas ocupassem as fábricas em que trabalhavam. O incidente mais famoso da agência nessa área de atuação foi o da greve de Homestead de 1892, quando centenas de agentes da Pinkerton forçaram violentamente o fim de uma greve, matando nove pessoas. Também participou em muitas acções famosas nas greves das indústrias metalúrgicas e de carvão nas regiões leste e central dos EUA, e nas greves das ferrovias no sul e no meio-oeste.

homesteadstrike

O logotipo da agência era um olho circundado pela frase We never sleep  e inspirou o termo private eye, sinónimo de detetive particular.

Na década de 1870, a agência foi contratada para investigar sindicalistas que trabalhavam em minas da companhia Philadelphia and Reading. Enviaram o agente James McParland para se infiltrar numa sociedade secreta dos trabalhadores, a Molly Maguires. Usando o pseudônimo James McKenna, o agente conseguiu adentrar e desmantelar a sociedade. A notícia do facto inspirou o conto O Vale do Medo, escrito pelo romancista Sir Arthur Conan Doyle.

Agentes da Pinkerton também foram contratados para perseguir foras-da-lei famosos do Oeste americano, tais como Jesse James, Reno Brothers e o Wild Bunch.

Atualmente o nome Pinkerton é uma marca registrada da Companhia Securitas AB, que possui uma subsidiária chamada Pinkerton Consulting & Investigations Inc.

O Detetive Allan Pinkerton praticamente implementou a Atividade de Inteligência de Estado no setor privado no início do capitalismo industrial.

WE NEVER SLEEP,

John Hardey

Pontos Vs Tropas

É a eterna questão do Grepolis, o que fazer? Desenvolver cidades até atingirem 17.786 pontos (maior número de pontos que uma cidade pode ter) melhorando a classificação geral do jogador ou criar tropas e dominar os oceanos e os restantes jogadores não permitindo que estes cresçam?

O ideal é manter um equilíbrio! Se apenas desenvolvermos cidades e não existirem tropas estamos vulneráveis! No entanto também é necessário desenvolver as cidades, senão não é possível obter certas unidades para destruir os inimigos!

Como já referi uma cidade pode ter no máximo17.786 pontos (este valor poderá sofrer alterações devido a arredondamentos). A classificação geral é atualizada normalmente a cada 15 minutos, logo poderá por vezes poderá notar diferença na soma dos pontos das suas cidades e da classificação geral.

Artigo de DaniCV

Entrada tardia no jogo

Se entrar no jogo na fase final de um mundo a adaptação da sua estratégia é muito importante. A produção rápida de recursos desempenha um papel fundamental para que o desenvolvimento da cidade seja mais rápido. Também é de extrema importância que se proteja dos ataques dos inimigos. Para evitar a perda de recursos, a expansão do armazém e da muralha é essencial! As unidades defensivas também! Depois de alguns dias a desenvolver a sua cidade e a aumentar o número de tropas deve agora tentar ganhar mais recursos! Hora do ataque! Começar com cidades fantasmas e cidades de jogadores mais fracos e ir aumentando o “nível de dificuldade”, ou seja, escolher cidades com mais pontos de jogadores mais experientes. Não esteja a querer acelerar o processo de expansão para outras ilhas. Obviamente que esse é o passo a seguir, no entanto é necessário fortalecer bem a cidade inicial, já que terá de passar a defender duas cidades. Escolha com cuidado a localização. É preciso ter mente que isto é um jogo de estratégia! Se investir os seus recursos somente nas unidades atacantes será um alvo fácil para os seus inimigos! A melhor estratégia que existe consiste na construção de uma cidade com uma forte defesa, com uma guarnição de inúmeros espadachins e arqueiros. Você, por ter começado mais tarde será um alvo atraente para os jogadores maiores, no entanto, se perderem muita tropa na sua cidade, eventualmente deixarão de o atacar.

Artigo de DaniCV011

Curiosidade – Esparta

Sabias que os espartanos eram descendentes de um povo oriunda da região da Macedónia chamado Dório?

A sociedade estava dividida em esparciatas, periecos e hilotas, esparciatas era educados para serem soldados, periecos eram geralmente comerciantes e artesãos e os hilotas eram propriedade do estado.

Apenas o estado podia comprar ou vender escravos.

Para um espartano, a única profissão nobre era a de soldado. Orgulhavam-se de tal sendo uma honra morrer no campo de batalha.

Aos 7 anos os jovens passar a ser propriedade do estado sendo tirados as mães e forçados a ter treino militar.

Os esparciatas passavam maior parte da sua vida em tendas do exército e mesmo uma esparciata com mais de 50 anos podia ser chamado para combater.

Os espartanos combatiam nus para criar resistência ao frio.

Esparta nunca gostou da supremacia Ateniense, com o passar dos anos Esparta acabou por declarar guerra a Atenas. As guerras de Peloponeso duraram 30 anos e abaram por ter um papel importante para o fim da Grécia.

Artigo de Ivo2012

Diferenças entre Atenas vs. Esparta

ATENAS
  • Ficou conhecida pela organização democrática, pela ciência e literatura.

Sociedade dividida em 3 grupos:

  • Cidadãos- eram os proprietários da terra e o grupo mais poderoso
  • Metecos- estrangeiros que se envolviam com o comércio e artesanato
  • Escravos- não tinham direitos politicos, assim como as mulheres

 

Comércio activo:

  • Exportavam: Vinho, Azeite e artesanato
  • Importavam: Cobre, ferro e Trigo.

 

Antes de se tornar uma democracia Atena conheceu a Monarquia, Oligarquia, e a Tirania.

 

Líderes:

  • Drácon- Legislador
  • Sólon- Governador
  • Pisístrato- Tirano
  • Hípias- Tirano
  • Hiparco- Tirano
  • Iságoras- Último tirano
  • Clístenes – Sob o seu comando Atenas entrou em um período de reformas políticas que beneficiavam os mais pobres.

Inseriu o Ostracismo (condenação ao exílio po 10 anos) tentando evitar que se repetisse um governo tirano em Atenas.

ESPARTA
  • Ficou conhecida pelos seus novos metodos de batalha e defesa que será reutilizada pelos romanos aquando do império dos mesmos.
  • Legislação Severa
  • Militarismo
  • Estrutura social rígida. Dividia a sociedade em 3 grupos:
    • Elite- eram os espartanos ou esparciatas. Por seres os únicos considerados cidadãos, podiam controlar a região politica e os assuntos militares.
    • Penecos- Eram livres e se dedicavam ao comércio e ao artesanato
    • Hilotas- Prisioneiras de Guerra, eram a maioria da população.

 

Os espartanos temias rebeliões dos Hilotas, por esta razão fizeram da cidade um verdadeiro campo militar.

Aos sete anos, os meninos passavam a pertencer ao Estado e eram educados para a Guerra, se desobedecessem eram punidos. Toda essa submissão causava transtornos entre as famílias, pois o cidadão espartano servia ao exército até aos 60 anos.

O Governo espartano era diárquico: dois reis comandavam os exércitos e representavam os interesses das principais famílias espartanas.

Tinha duas assembleias:

  • Apela- formada por representantes do Povo
  • Gerúsia- Conselho de anciãos.

O poder dos reis era limitado; magistrados conhecidos como éforos vigiavam as suas actividades.

As leis de Esparta foram elaboradoras por Licurgo- legislador que transformou a cidade em um estado militarista.

Foi graças a Esparta que a Grécia se transformou numa potência mundial.

Se Esparta ficou conhecida como uma potência militar, Atenas era a estratégia por detrás do mesmo. Juntas eram imparáveis, separadas eram fracas.

Artigo de Corujax

Problemas Grécia Antiga

Em um dado momento, as diferenças entre as cidades-estado promoveram o acirramento dos interesses politicos entre as mesmas. Com isso, apartadas entre as Ligas de Delos e do Peloponeso, as cidade da Grécia Antiga se desgastaram em uma prolongada Guerra que acabou permitindo a dominação de outros povos sobre esta civilização.

Tudo começou no sec. V e IV a.c. os gregos se envolveram em várias guerras.

1ª)

Guerras médicas: lutaram contra os persas, pois estes haviam construindo um império o que ameaçava as colônias gregas.

2ª)

Guerra do Peloponeso: Atenas vs Esparta -> Esparta saiu vencedora (Inicio do declinio)

Tebas vs Esparta: → Tebas saiu vencedora.

A Grécia fez importantes contribuições no campo da arte, literatura,filosofia, ciência: seus escultores e arquitectos, poetas e dramaturgos, filósofos e legisladores, cientistas e matemáticos, estrategas e comandantes lançaram as bases longínquas de toda a cultura ocidental; suas colónias estenderam-se até ao Mar Negro, norte de África e sul de Itália e França mas a constante rivalidade sobretudo entre Esparta e Atenas, acabou enfraquecendo a civlização grega permitindo a sua conquista por Filipe da Macedónia em 338 a.C.

Seu filho, Alexandre o Grande, difundiu largamente a civilização helénica devido a sua paixão pela cultura em vez de a eliminar promoveu-a tendo sido de suma importância para que os valores helênicos perduram-se ao longo do tempo

Artigo de Corujax

Aldeias bárbaras

Aldeias bárbaras – tudo o que tem de saber

O que são?

As Aldeias bárbaras são aldeias criadas pelo próprio jogo, que não tem nenhum jogador a exercer controlo. Servem apenas para obtenção de recursos ou tropas. Cada aldeia tem um nome específico como Rosstri, Draros, Thosgan, Gipsi, Thosky, Dounosga e Rosfrahy, embora exista uma infinidade de nomes. São facilmente identificáveis uma vez que se encontram no meio de algumas ilhas e não na periferia como as cidades normais de cada jogador.

Imagem 1

As aldeias bárbaras representadas com uma bandeira verde são as já conquistadas e as com bandeira vermelha as por conquistar.

Cada jogador, ao fundar a sua primeira cidade, obtém automaticamente uma aldeia bárbara.

Como conquistar aldeias bárbaras?

Nas ilhas onde existem aldeias bárbaras podem ser conquistadas 8 aldeias bárbaras, mesmo que o jogador tenha mais do que uma cidade na mesma ilha. Conforme o número de aldeias bárbaras conquistadas naquela ilha, a dificuldade aumenta para conquistar as restantes.

Tabela

* Não esquecer que a primeira aldeia bárbara na primeira cidade já se encontra conquistada.

O que obter através das aldeias bárbaras?

Como já foi referido através das aldeias bárbaras é possível obter recursos e tropas.

Os recursos podem ser obtidos de 3 formas diferentes: através de pedidos, pilhagens ou trocas. As unidades podem ser obtidas no separador “Unidades” (apenas a partir

O pedido de recursos é, normalmente, mais proveitoso já que não afeta a moral da aldeia. Tanto as pilhagens como o recrutamento de unidades afetam a moral das

A obtenção de recursos ou tropas é aconselhada no menor tempo possível já que irá obter mais recursos.

Imagem 2

(Imagem obtida num servidor de velocidade 3x)

Compensa melhorar as aldeias bárbaras?

O desenvolvimento das aldeias bárbaras de uma ilha é feito por todos os jogadores presentes naquela ilha, ou seja, cada recurso enviado para a aldeia bárbara ir ajudar toda a ilha e não só um jogador.

As aldeias bárbaras podem ser melhoradas através do desenvolvimento de níveis (entre 1 e 6), cada melhoria tem o seu custo, mas também terá mais vantagens!

Para mais informações consulte a nossa wiki aqui!

Artigo de DaniCV

Aqui podes consultar artigos, entrevistas e dicas sobre o teu jogo favorito.