Todos os artigos de lamios

Dos primordiais do tw até aos dias de hoje

Artigo a sugestão de Horny Rhyno 🙂

Aqui está uma questão interessante. Desde o velho Tribos que todos nos habituamos a jogar, até este novo e melhorado, houve bastantes mudanças. Todas boas? Veremos. Toca a analisar 😀

Pacote Gráfico – se pusessem lado a lado o “velho” tribos e o “novo” tribos a diferença principal seria imediatamente esta. O pacote gráfico. Os edifícios foram melhorados, os homenzinhos dos recursos já mexem… Claramente uma boa mudança, mesmo para quem tem Tráfego Limitado pois disponibilizamos a ferramenta Vista Clássica.

Igreja – outra mudança importante… A igreja. Muitas questões se vêm à volta dela, do raio religioso, da aldeia A ou B, mas no geral as opiniões são de maioria esmagadora: uma implementação infeliz, mas nada de importante pois muitos mundos abrem sem ela.

Moral – tem muito que se lhe diga… será certo benificiar quem vai ao jogo uma vez por dia e cresce lentamente, ou deveríamos ser mais benevolentes com quem passa mais tempo por cá e trabalha para crescer rapidamente? A verdade é que o tribos é um jogo para todos, e que limites de tráfego, de tempo ou de possibilidades levam a que seja necessário “proteger” alguns membros menos activos. Se com isso beneficiarmos também os “morre-ao-sol”, parece-me um preço justo.

Membros de confiança – Outra alteração importante, seja na identificação de espiões ou na boa organização de uma tribo. Só traz benefícios 🙂

Mundo profissional – amado por muitos, odiado por ainda mais… O mundo11, primeiro mundo profissional do servidor PT, deu que falar. As configurações inovadoras foram uma lufada de ar fresco para uns e uma desilusão para outros. Bom ou mau? Depende da perspectiva…

Rondas speed – acho graça que ainda ontem falei com um jogador veterano, exclusivo mundo1 sobre as rondas speed, e consegui uma cara atónita… “O que é isso?”. Embora alguns jogadores se desliguem do resto, a verdade é que os speeds foram uma grande implementação para melhor no servidor PT … Próximo passo, speed de uma hora 😛

Termino assim o artigo

Fiquem bem e espero que tenham gostado

Lamios

Espionagem – Necessário?

Olá,

Como eu no fundo sou um desocupado aos fins de semana (:P), aqui vai mais um artigo. O tema? Espionagem.

Um dos piores pesadelos dos líderes de tribo é a espionagem. A espionagem no Tribos, para quem não sabe, não é mandar 2 vikings roubar documentos secretos do forum da tribo, nem enviar os batedores para ver as tropas (embora possa ser).

A espionagem é a inserção de meio deliberado de membros de confiança em tribos adversárias, de forma a ter acesso ao fórum das mesmas e às mensagens colectivas.

Os benifícios são muitos – a possibilidade de antecipar ataques coordenados, de ver quais os membros que estão mais fragilizados em termos de tropas… Um bom espião até pode utilizar a secção do mercado no fórum para descobrir as necessidades do jogador! Por exemplo, se precisa de ferro pressupõe-se que seja para tropas e antecipam-se ataques ao mesmo, antes que elas sejam aumentadas…

Outro ponto importante a que os espiões têm acesso são as mensagens colectivas e o geral do fórum. Um bom espião tem de transferir as informações no momento, e pode aproveitar-se (se a pessoa que o colocou lá for inteligente) de momentos de maior fragilidade na união da tribo para aliciar membros descontentes com convites, criando confusão interna.

Certamente têm reparado que já algumas vezes me referi a bons espiões. Mas será que existem de facto BONS espiões? A mim, não me parece. Qualquer jogador que enverede pelo caminho da espionagem contraria a total natureza do tribos em si, que como a frase diz, é ” um jogo de guerra sobre a era mediaval”. Mas métodos são métodos.

Para finalizar deixo aqui umas sugestões para evitar a entrada/detecção de espiões.

– Utilização da ferramenta membros de confiança para disponibilizar, um a um, a todos os membros, informações falsas, e verificar se elas foram utilizadas.

– Processo rigoroso de  recrutamento

– Reserva de aldeias inimigas num forum oculto e por PM ao líder. Também enviar PM ao líder para verificar se a aldeia não está reservada.

Espero que tenham gostado, e deixo-vos aqui com uma comparação:

“os espiões são como uma pandemia. entram, afectam e alastram…”

Cumps

Lamios

Assunto delicado – Famílias de tribos

Olá

Depois da análise de um bom líder, deixo aqui um artigo sobre as famílias de tribos… um grande “tabu” no Tribos de hoje. Porquê? São boas? São más? Quais são as vantagens e desvantagens? Continuem a ler para descobrir.

As famílias têm, como uma vez alguém disse, de ser analisadas sobre várias perspectivas.

1 – Perspectiva dos Líderes das Famílias

Todos os líderes actuais devem ficar assustados só de pensar em liderar uma família. Se 60 a 80 membros já são tão dificeis de governar, quanto mais 300, divididos por diversas tribos, cada qual em seu continente. Das duas uma, ou o líder passa o dia todo colado ao ecrã e tem mesmo muito talento, ou designa líderes para cada uma das “alas” da família. Resultado? Confusão. Tribos que começam a prosperar e quando vêm negadas posições superiores na hierarquia procuram independência, tribos que são mais pequenas e pedem constantemente apoio militar das “tribos-mãe”… E líderes menos capazes que são atribuídos à liderança resultando em problemas internos.

2 – Perspectiva do membro novato da família

Ao estar rodeado por tantas tribos da família, aliadas, e membros da tribo, ou seja, pontinhos azuis, os membros novatos vão experienciar uma sensação de segurança acrescida em relação às suas preciosas aldeias.

Contras? Pouco espaço para crescer, o que os condiciona no seu jogo obrigando a que conquistem inactivos e bárbaras. Além disso, a sensação de excessiva segurança leva muitas vezes a que descurem as tropas, o que resulta em jogadores não preparados para uma guerra.

3 – Perspectiva do membro experiente da família

Enquanto que os membros novatos se conformam e jogam pelo seguro, os membros mais experientes procuram guerra, tops e expansão, e não o encontram rodeados de aliados e membros da tribo.

Resultado? O membro experiente vai sair da família. Rodeado como está, em breve será extinguido pelo número de jogadores, que não sendo pela coordenação, o vencem pelo número e pela persistência. Fica então a família com um jogador a menos e umas aldeiinhas a mais. Esta situação repetir-se-à viciosamente, até que o número de jogadores a sair seja elevado, originando problemas internos a alto nível, o que aliado ao facto da má governação levará à procura de fusões e à queda, mais cedo ou mais tarde.

Prós e contras

Prós

Segurança no inicio do jogo

Possibilidade de crescer sem necessitar de “gastar” muitas tropas e tempo

Pouca necessidade de apoio e ataques coordenados

Contras

Comprometem seriamente o crescimento a médio e longo prazo

São auto-destrutivas consoante o ponto 3.

Espero que seja do vosso agrado, comentários no fórum do tribos.

Lamios

Análise final – o bom líder

Bom dia,

Aproveito para me apresentar como novo redactor-chefe do jornal, a partir de agora tratarei eu da maior parte das coisas relacionadas com o mesmo, claro com a ajuda do nosso MC Peralta.

Depois de várias discussões começadas no fórum externo do tribos, podemos agora reunir as características mais importantes de um líder, de acordo com a comunidade. E são elas (atenção, é uma recolha de vários posts, uma selecção dos mais importantes e concordantes, nada da minha autoria):

Um líder é…

1. O líder é um condutor
O líder é uma figura que tem de gerar consenso. Liderar é antes de mais servir. No contexto de tribal wars é servir a tribo e cada um dos seus membros da melhor forma, explorando os aspectos positivos de cada membro, potenciando os defeitos de forma a torná-los em virtudes. O líder conduz portanto a tribo e cada um dos seus membros para o atingir dos objectivos globais que são potenciados pela exploração do melhor de cada membro a nível individual, mas sempre em função do grupo. É na motivação de cada membro que a tribo alcançará os resultados pretendidos, atingindo os seus objectivos como grupo composto por diversas unidades.

2. O líder é transparente e justo em todas as situações
Já se falou neste tópico sobre líderes que por vezes somam muitos pontos por absorverem inactivos, sem muitas vezes darem conhecimento ao grupo da desistência desses jogadores. O líder deve ser o sinal máximo dos principios da tribo. Quer isto dizer que se pretende respeito por parte de todos os que lidera, deve ele próprio ser um exemplo. Por uma questão de transparência e justiça o líder não deve absorver em momento algum inactivos, mas antes fazer com que inactivos sejam absorvidos por outros membros que não ele de forma sempre justa e transparente para toda a tribo. Desta forma manterá uma imagem interna de total confiança e integridade perante todos, o que lhe confere legitimidade para comparecer sempre como figura de justiça e verdade total em situações de conflitos internos.

3. O líder escreve de forma cativante
No tribal wars isto é uma caracteristica que eu acho fulcral. Todos os bons líderes escrevem de forma exemplar e usam a comunicação escrita como factor de diferenciação e criador de carisma e estilo próprio. Escrever bem e de forma cativante ajuda ao bem estar da tribo, tanto interna como externamente.

4. “Deve formar e estimular o nascimento de outros líderes
Um líder não deve querer, ter apenas seguidores…um líder não deve cair no erro de se fazer idolatrar e sentir que é insubstituível. Um líder deve ensinar e estimular as capacidades de liderança noutros membros, para que no desenrolar do jogo deixe de ter o trabalho todo em cima das suas costas.

E uma frase muito importante…

O significado de lider é igual, cada pessoa lhe atribui um.

Espero que tenham gostado

Lamios