ENTREVISTA A gravedigger man, LÍDER DA TRIBO VENCEDORA DO MUNDO 45

Boa tarde GraveDigger Man!
Antes de começarmos a entrevista gostaria em nome da Equipa de Tribos, felicitar-te pela vitória do mundo 45

1- Antes de falarmos sobre o jogo podes falar nos um pouco de quem és fora do jogo?
R:
De forma sucinta, sou homem de 20 anos, com um gosto peculiar por matemática e computação, gosto de encontrar várias soluções para o mesmo problema, apenas por delírio meu de encontrar a melhor solução.
Gosto de levar uma vida serena, e não sou muito dado ás relações interpessoais, não que não goste, mas para mim é algo estranhamente complexo.
Tenho como hobbies, Jogar,Cinema(Muito frequente) e refletir sobre várias teorias insólitas que leio,recentemente fiz uma auto-análise do “efeito borboleta”.
2- Qual foi o primeiro mundo em que jogaste?
R:
Mundo 5
nick:trol100
3- Tiveste mais algum nick para além desse?
R:
trol100
4- Quais sao as caracteristicas que mais gostas num mundo?
R:
Velocidade2, com arqueiros.
5- O que mais consideras importante numa tribo?
R:
Não há peça mais importante,tudo o que constitui a tribo esta adstrito a si própria.
Por exemplo, a inatividade de um membro, independentemente do seu tamanho, pode submeter um jogador a deixar de enviar apoio a outro, e assim sucessivamente.Uma única falha pode comprometer a tribo inteira. Todas as peças se interligam para formar algo conexo,metaforicamente falando, um puzzle completo.
Não posso deixar de frisar, que confiança e bom ambiente no seio da tribo é fulcral.
6- Como te consideras como um líder?
R:
Fui constrito a ser líder, na sequência da inatividade e posterior desistência dum grande tutor meu, Jah Gaia.
Ainda assim, foi de coração que aceitei pilotar a VT@.
Dentro de algumas decisões impulsivas,incompreendidas,imaturas, etc, algumas são corretas e aceites pela maioria.Reconheço que tenho um grande caminho a percorrer para ser o tipo de líder que idealizo.
7- O que mais gostas no tribos?
R:
Jogo tribos pelo facto de gostar de jogos de estratégia,somado a isto é um jogo da era medieval.
Para além disso é um jogo que exige de forma imprescindível, união,companheirismo, espírito de sacrifício e lidar com outrém.
Não basta ser um craque do tw, sem equipa nada feito.É preciso que haja uma harmonia e sincronia para o sistema funcionar em pleno.
8- Qual é o teu estilo de jogo?
R:
É definido à custa do adversário.O rácio de ataque/defesa é conforme a exposição da tribo.Quanto mais exposta, maior quantidade de defesa.Valido é também o contra-recíproco da afirmação anterior.Jogadores ativos, gosto de os desgastar, ser atacado diariamente embora que com menos força é mais difícil do que uma vez semanalmente.Em relação a defender, a chave é estar rodeado por jogadores ativos, para que quando for preciso defender se canalize tropa de forma rápida para a zona atacada.
9- Fala-nos um pouco da VT@ no 45, qual foi a vossa estratégia inicial?
R:
A estratégia não foi muito ortodoxa. Estavamos no centro do mapa contra todas as tribos. A atividade e amizade de todos foi crucial para o nosso sucesso, os vastos pontos inimigos foram a pouco e pouco desvanecendo.
10- No inicio da guerra contra a >>H<< , estavam a perder por mais de 600 aldeias conquistadas de diferença, como é que lidaste com isto tudo e qual foi a chave para ultrapassar essa barreira?
R:
Relembro-me de uma altura que estavamos contra Hypnotic, TJ e F.O.W. Foram meses muito duros…tentamos segurar ao máximo possível os portôes da tribo, mas nem todos os membros tinham o mesma astúcia que o núcleo duro da tribo e perdiam aldeias sem garra, com ênfase no k46.
Face a este ambiente sombrio houve muitas desistências, ainda que naturalmente decepcionados, os verdadeiros guerreiros da VT@ fortificaram a sua união.
11- Nem todas as fusões correm bem, mas qual foi o fator que fez com que a fusão com a FOW fosse um sucesso?
R:
Face ás desistências e ao monstro que era a <H> na altura , com o dobro das aldeias de F.O.W e VT@, não havia outra forma de encarar o mundo com bons olhos sem que uníssemos forças menores para combater com equilíbrio uma maior.
12- Qual foi o coordenado que teve mais impacto no mundo?
R:
Coordenado ao soberano W@tchman que durou mais de 1 mês com várias bombocas rumo ás aldeias dele.Este coordenado devido à zona central(k55) e à grande quantidade de ataque do jogador, constituiu um ponto de viragem no mundo.
13- Depois de virar a dominância do mundo a vosso favor, como conseguiste manter a mente de todos os jogadores focada sem tomarem o mundo por garantido?
R: Até cerca de 70% de dominância a atividade da tribo foi forte, atingindo este marco muitos quase que deixaram de aparecer devido à falta de competitividade. Não houve qualquer problema, pois o desinteresse de uns contrabalançou com o interesse de outros para conquistarem aldeias de forma descomplicada.
14- Qual foi a sensação ao ver que atingiram os 80% de dominância e tinham ganho o mundo?
R:
Nessa altura predominou a alegria e festejo, nunca julgamos possível após tantas vezes de estarmos entre a espada e a parede fôssemos ser a equipa vencedora.
15- De certa forma desde o mundo 45 que parece ter surgido uma relação entre UNION e VT@ em que sempre que existe a UNION existe uma VT@, que tens a dizer em relação a isso?
R:
A Union foi uma boa rival e é uma boa tribo, para além disso a guerra Union x VT@ foi vivida por ambas as partes com os nervos à flor da pele, nunca chegando a haver diálogos construtivos entre as duas. Felizmente, no que toca a boas guerras, havendo estes dois nomes num mundo teremos que ser adversários, é algo naturalmente impelido.
16- Terminaste o mundo com 1.419. Como é gerir tanta aldeia?
R:
Com uma boa organização de grupos dinâmicos e manuais, tarefas como construir edifícios ou recrutar unidades, são feitas de forma simplificada com o gestor de conta.A parte mais difícil e dispensiosa em termos de tempo esta em movimentar inúmeros fulls de ataque e defesa.
17- Da C.O.E qual foi o jogador que mais te surpreendeu ou que mais gostaste? Porquê?
R: Jah Gaia por me ter ensinado a jogar o jogo na sua plenitude. Não posso deixar de mencionar nomes de jogadores que jamais esquecerei, cada um por motivos diferentes. Js7395,pk???(S.K.),Sr.maluco,Cenaita,- Happy Panda,Castle,The nevk,RONDAR,antmachados,deathlok e PESTER.
18- Tens algum conselho a dar aos líderes de tribos que passam por situações como a que vocês passaram antes da vitória no mundo 45?
R: Trabalhar árduamente aparentemente para algo inatingível, pode ter frutos.
19- Tem algum inimigo em especial que te surpreendeu?
R: Dj Fénix, tem uma resistência incrédula. Não falando apenas de ser duro no tribos, mentalmente é forte.
20- Já agora porquê o nick GraveDigger Man?
R:
Resultou de uma mudança de um nick prévio, simplesmente achei engraçado e que se adequa ao jogo.
21- Por fim, mudarias alguma coisa no tribos?
-Dar continuidade à proibição de compra de nobres e número de ataques limitado, implementado no PT56
-Fim do mercado livre, no que toca à troca de recursos por pontos premium e vice-versa.
-Fim dos pontos premium ou da sua transferência,no âmbito de diminuir o número de casos ilícitos ou duvidosos.
-Discutir a possibilidade de ser possível a remoção de aldeias do mapa pela administração ou alterar a sua localização de forma aleatória para que se mantenha o mapa com uma densidade de aldeias por campo razoável.
-Cativar os novos jogadores, neste âmbito podem ser dados prémios a outros mais experientes que os ensinem, após concluído determinado patamar, como bandeiras, metas ou recompensas premium.
Obrigado pela disponibilidade GraveDigger Man!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *