Encontro em Lisboa

A equipa de suporte do Tribos e do West decidiu organizar dois eventos na cidade de Lisboa entre as equipas e os jogadores no próximo sabado (dia 23 de Maio’09). Na sequencia do evento desenvolvido no porto consideramos que seria interessante repetir esta iniciativa na capital de Portugal, tanto durante a tarde como durante a noite.

mapa-lx-01

Durante a tarde (16h00 – 19h00)

Pastelaria Suíça

Praça D. Pedro IV, 96 a 104

Rossio (Praça)

Coordenadas GPS: N 38º42’49.49” e W 9º08’20.15”

Ver mapa

mapa-lx-02

Durante a noite (00h30 –)

BAR Tuareg (SANTOS)

Calçada do Marquês de Abrantes, 72 – 74

Santos – Lisboa

Coordenadas GPS: N 38º42’29.27” e W 9º09’15.91”

Ver mapa

Ricardo, pelas equipas de suporte

Café nocturno no Porto

A equipa de suporte do Tribos e do West decidiu criar um evento especial para estas comunidades na cidade do Porto. A equipa irá juntar-se para mais um dos tradicionais jantares entre membros de suporte, porém desta vez gostaríamos de convidar os jogadores para um café após o nosso jantar.

Assim, convidamos a comunidade para um café nocturno, no dia 21 de Maio’09 pelas 22h00.

mapa-opo-01

A partir das 22h00

Bar do titan

Av. Gen. Norton Matos

4450-208 Matosinhos, Porto

Telefone do bar: 229350923

Ver mapa


Ricardo, pelas equipas de suporte

We want you!

we-want-you

Mais uma vez abrimos as candidaturas a voluntários para o suporte.

Após a última rodada, encontramos varias pessoas que tem vindo a contribuir activamente para o desenvolvimento da comunidade. Neste momento queremos expandir a nossa equipa e trazer novos membros para a nossa família, pessoas dinâmicas e interessadas em fazer a diferença. Porém, pedimos a todos para antes de submeterem a vossa candidatura para terem em consideração que é importante perderem algum tempo na escrita da mesma, temos em grande estima qualidades como,

  • Capacidade de escrita,
  • Vontade de participação,
  • Pessoas assertivas,
  • Vontade de integrar uma das equipas mais divertidas que anda na internet,

candita-se aqui: http://team.tribos.com.pt/candidaturas/ Sinceros votos de vos encontrar na equipa. Ricardo, Administrador de Comunidade

O diabo e o anjo

D&ANão, não e não! Com toda a certeza isto não anuncia um cliché entre escolhas “boas” e “más”, o objectivo desta coluna é satirizar e enaltecer actos e pensamentos do dia-a-dia.

Como surgiu a ideia?

Para aqueles que não sabem, a equipa costuma reunir-se no skype e discutir o trabalho do dia tal como ter outras conversas não relacionadas ao trabalho, é neste contexto que surge a ideia. Entre divagações e parodias do “adoro-te” à contagem do numero de grãos de café que estão dentro do saco.

A vida de uma pessoa transcende o jogo e as suas ferramentas de comunidade, então porque não abrir asas a uma “aproximação” de todos num contexto divertido.

Que podemos esperar desta coluna?

Um diabinho e um anjo! Na realidade não existe um ou dois autores, existe uma equipa por trás destas duas personagens com opiniões distintas e com vários antagonismos.

O modelo que iremos adoptar, privilegiar o secretismo de quem escreve, em nenhuma altura será revelado o nome do autor. Os temas serão variados e irão manter um nível de bom senso sendo possível dos textos serem lidos por idade diferentes.

Ao mesmo tempo iremos utilizar como fonte de inspiração, os fóruns PT.

Assim aqui deixo os votos de maior sucesso para este projecto.
Ricardo, Administrador de Comunidade

Forum PT: http://forum.tribos.com.pt/showthread.php?t=11637

Mundos encerrados

Esta segunda-feira, 27 de Abril, todos os mundos com mais de 1 ano serão fechados a novos registos.

Dada a dificuldade que é entrar num mundo após 1 ano da sua actividade e para manter a competitividade no mundo foi decidido que após 27 de Abril todos os mundos assim que atinjam o seu primeiro aniversário serão encerrados a novos registos. Os mundos continuarão a funcionar, mas novos jogadores não poderão se registar neles.

Votos de um bom jogo.
Ricardo, Adminstrador de Comunidade

Operação de limpeza

Neste mês a equipa de suporte decidiu por um ponto final em algumas de varias irregularidades detectadas por pessoas que partilhavam a mesma ligação (inclusive modo de ferias/substituição). Assim resultou em mais de 10000 jogadores banidos em menos de uma semana.

Como resultado desta experiencia foi possível concluir que muitos jogadores e tribos não consultaram as regras e não compreendem que não existem excepções às regras do jogo.
Assim, como nota final sobre este assunto gostaria de deixar claro que não foi investigada uma tribo em especifico de nenhum mundo, mas foram revistas todas as contas; da mesma forma que o processo de investigação utilizado foi 100% infalível.

Porém, ao mesmo tempo que após uma semana de 24/7 de suporte a apelos verificamos que mesmo com 2 bloqueios vários jogadores repetiram as mesmas infracções num intervalo inferior a 24h e por este motivo foram banidos dos jogo definitivamente.

Acrescento ainda, que deste momento em diante as punições serão mais severas e haverá um controlo ainda mais apertado a este tipo de infracções e outras.
Continuação de um bom jogo (com Fair-Play),
Ricardo, Administrador de Comunidade

Entrevista a Albboteta

Venho agora apresentar-vos um dos primeiros jogadores a jogar o Tribos, começou a jogar no Mundo 1.
É o líder do Mundo 1, o primeiro mundo da comunidade PT, e um dos líderes da Melhor tribo do Mundo 1, a COVA.
Estou a falar obviamente do Albboteta.

Nome: António

Idade: 41

Localidade: Beja-Cuba

Mundos Activos: Mundo 1

Mc: Quero agradecer-lhe por ter aceitado o meu convite para a entrevista, e pelo tempo disponível par ao mesmo.

Vou começar por pergunta, como a todos os jogadores, como conheceu o Tribos, e como começou a jogar?

ALBBOTETA: Conheci o tw, por alguns colegas meus, começarem a jogar e até foram eles que me registaram. De inicio, não achei muita piada pois nunca tinha jogado em pc e, muito menos, jogos on line.

Mas comecei a jogar e entrei no vício até hoje.


Mc: Ainda se lembra em que dia começou?

Albboteta: Se não me engano foi em Março de 2008 entre os dias 12 a 14.


Mc: Qual foi a sua 1ª tribo?

Albboteta: B.T. – Brigada dos Templários.


Mc: Você é o líder do Mundo 1, o primeiro mundo PT. Conte-nos como foi o seu progresso até aqui.

Albboteta: Bem para chegar a n.º 1 é preciso ter-se primeiro gosto e disponibilidade, eu tive a sorte de quando me registei ficar no meio de K’s só com aldeias barbaras, e ai era fazer cavalaria leve, saques e recursos para nobres e conquistar o máximo de aldeias. Até ao ponto de passar 8 horas ao pc.

E como é do conhecimento de todos, o abandono de muitos jogadores que vão deixando aldeias, já feitas para a tribo conquistar, e ai é ainda mais fácil.

E o segredo para muito de isto tudo é nunca nos deixarmos bloquear num K, pois temos que ir vendo até que podemos estar e sair para outro, que tenha ainda aldeias para evoluirmos.

Eu já estou em 4/5 K’s para que possa ter sempre fuga. Basicamente é isto.


Mc: O que mais gosta no Tribos? Isto é, o que faz com que tenha ficado viciado no Tribos?

Albboteta: Gosto das estratégias que em conjunto, arranja-mos para tentar sermos os melhores.

Começarmos a conhecer pessoas e todos os dias falamos, uns dias discutimos outros estamos amigos. Em fim, há muitos factores que nos levam a viciar, eu hoje em dia passo ai umas 10/12 horas ao pc.

Depois, comecei a administrar uma tribo, que por sua vez é a número 1 do mundo, logo ai tenho muito trabalho e empenho porque gosto do TW.

Mais de metade das horas, que passo ao pc, são a resolver assuntos da tribo.

Jogadores que dizem esta aldeia pertence a mim o outro diz ser ele o primeiro que nobrou. Enfim dá-me gosto resolver assuntos da tribo.

Depois tenho muitos jogadores colegas e amigos meus, que discutimos algumas estratégias, de jogo num bar que frequentamos normalmente as tardes enfim basicamente é isto que me leve a viciar mais no jogo.


Mc: Realmente a sua tribo tem uma diferença de 10 milhões comparando com a 2ª melhor do mesmo continente. Qual o vosso segredo?

Albboteta: Nunca recrutar jogadores com menos da média do 40º. Jogador da tribo, só por estratégia do jogo a que se recruta um jogador com menos pontos.

E como pode ver a nossa tribo tem sempre menos jogadores que as outras, e temos sempre algumas desistências.


Mc: Sendo você, o líder do mundo 1, deve sentir alguma pressão. Como é que gere tanta coisa ao mesmo tempo? Liderança do mundo, liderança da tribo?

Albboteta: Bem, o difícil mesmo é chegar a primeiro, depois é só ir gerindo e fazer tropas, porque as aldeias estão vazias. Pois os recursos foram só para nobres, agora estou parado pois estive a carregar tropas até encher a fazendas das aldeias. Pois mais uns 5 a 6 dias vamos começar outra vez em ataques para subir mais uns pontos.

Quanto a tribo, pois tenho uma equipa por trás de mim muito boa, e assim consigo ter as coisas mais ou menos em ordem. O pior é a primeira hora é só abrir mensagem e ter que dar resposta a alguns, pois 50% nem respondo, é injúrias e coisas sem interessa.

Quanto a pressões são muitas como deve perceber, ter que estar atento aos inimigos, as diplomacias as fusões entre outras coisas para que a nossa família nunca esteja em risco.


Mc: Qual o seu principal objectivo, tanto a nível individual, e como líder de tribo?

Albboteta: È divertir-me e passar o tempo livre que tenho, pois não tenho hábito de passar o tempo em cafés e nada mais. Tenho uma coisa que me diz nunca entres em guerras pessoais por um jogo que não vale a pena, se chegar a esse ponto abandono de imediato.

E como objectivo principal era ver todos os K’s completos sem aldeias de bárbaros.


Mc: Como começou logo no mundo 1, acredito que tenha imensas situações de que se orgulha de ter feito, ou conquistado. Qual deles é que realmente o mais marca e orgulha?

Albboteta: Mundo 1, porque era os únicos que tinha-mos na altura, só depois apareceram os outros.

Situações que me orgulho ter feito, não tenho nenhum em especial pois o meu orgulho é trabalhar todos os dias para a grande tribo que é a cova, nunca deixando um jogador sem uma resposta ou ajuda. Que me lembre, a tempos atrás convidei uma jogadora para a COVA, e ela me disse que vinha mas a minha tribo ia-me atacar. Eu disse-lhe não ha problema eu defendo-te deles, ela não viu com bons olhos eu sozinho a defender tantas aldeias dela, mas o que é certo é que durante umas semanas esteve a ser atacada e eu a defende-la e não lhe conquistaram nenhuma aldeia.


Mc: Mais ou menos, quantas horas é que está online por dia, e quantas vezes faz log ins?

Albboteta: Depende quando estou de serviço, estou sempre ligado por estratégica do jogo. Mas não quer dizer que esteja a jogar, mas média de 8 horas por dia, estou no jogo.


Mc: Você tem um nick bastante diferente. Porque escolheu esse nick, e qual o significado?

Albboteta: È simples é o meu nome. António Luis Batista Boteta.


Mc: Você também tem uma conta activa no mundo 7. Está a pensar em levar em frente a mesma estratégia utilizada no mundo 1?

Albboteta: Não, até estou a ser atacado foi so para ver como era, não tenho tempo.


Mc: Tem alguma sugestão que gostaria de dar par ao Jogo?

Albboteta: Gostaria que não existisse jogador com multi contas, que esses jogadores fossem postos fora deste jogo. Também tenho dúvidas até quanto não haverá jogadores protegidos, pois tenho visto de tudo neste jogo.

Quanto a sugestões gostava que alguém do fórum do jogo nos disse-se quando acabará o jogo se existe já algum fim ou será em deixando de haver quem compre contas prémios.

Sugestões, não estou a ver nada a acrescentar, pois eu estou cá é para me divertir.


Mc: Qual é a pessoa que gostava de ver entrevistada par ao nosso Jornal?

Albboteta: Talvez o jogador que tem mais aldeias que eu da CEL 45, RedDevil.


Mc: Obrigado pelo tempo disponível para a entrevista. Desejo o maior sucesso no jogo, e muito mais na sua vida real, tanto para si, como para os seus.

Albboteta: Muito obrigado. Uma Páscoa feliz para si.


Mc: Boa Páscoa para você também.

Neste tópico do fórum, poderão fazer comentários á entrevista: http://forum.tribos.com.pt/showthread.php?t=11159

Round Speed: Equipa VS jogadores

Neste mês a equipa de suporte organizou um Round Speed no servidor BR entre os jogadores e a equipa, para grande infelicidade nossa o round não correu como esperado.

Conforme tinha sido anunciado a equipa de suporte jogou no Round Speed na tribo Care-a-lot, inspirado nos ursinhos carinhos e com nomes de utilizadores baseados nesta serie de desenhos animados.

Agradecemos a todos os jogadores que participaram neste Round proporcionado 24h de grande diversão, porém fica aqui os nossos sinceros pêsames que alguns antigos membros da equipa decidiram endrominar o jogo através da divulgação dos nomes de utilizador que cada membro do suporte estava a utilizar.

Da mesma forma como havia sido prometido, eis a lista dos membros da equipa e os respectivos nomes utilizados:

Oopsy Bear – Ricardo
Grams Bear – FernanCar
Grumpy Bear – CarlosCmc
Superstar Bear – SirManteigas
True Heart Bear – Monzilla
Always There Bear – Paula501
Secret Bear – Arodrigues
Surprise Bear – irius
Daydream Bear – sofiita
Do-Your-Best Bear –  EredWethrin
Love-A-Lot Bear – Dannyinside
Smart Heart Bear – Aquarius
America Cares Bear – Dalilla3000
Proud Heart Bear – Rubysac
Heartsong Bear – Caliope
Laugh-A-Lot Bear – Mc Peralta
Bedtime Bear – Ogait87
Champ Bear – Tiagus
Sweet Dreams Bear – Teu23
Tenderheart Bear – alca
Pink Power Bear – Cerelac
Messy Bear – EnteiRocks
Grizzly Bear- Spydon
Wish Bear – RosinhaJu
Daydream Bear – Shangas
Take Care Bear – zemaneljag

Como nota final, deixo ficar que brevemente iremos abrir Rounds Speed no servidor português e esta iniciativa será lá repetida.

Ricardo, Administrador de Comunidade

Entrevista a Imbativel Gerreira

Depois de uma semana atribulada, aqui vem mais uma entrevista para a nossa comunidade. Depois do pedido de muitas “famílias”, realmente decidi que esta jogadora deveria ser entrevistada. Não só pelo sucesso desta do mundo 2, mas também pela tribo em que está integrada, sendo uma das lideres. Estou a falar da imbatível gerreira.

Nick: imbatível gerreira

Nome: Isabel

Idade: 36

Localidade: Odivelas/Lisboa

Mundos Activos: Mundo 2

Mc: Gostaria de lhe agradecer a disponibilidade para esta entrevista, já que sei que é pouca.

Imbativel: Através de amigos que jogavam e despertou-me a curiosidade experimentei e fiquei viciada. Ate hoje, cá ando


Mc: Por onde começou a jogar tribos?

Imbativel: Comecei o jogo no Tribos português, faz um ano em Maio, no belo mundo dois mais tarde dei um pulinho ao mundo 1 e 3 dos quais desisti por amor a minha tribo a qual me dedico a 100%…


Mc: Qual foi a sua 1ª tribo no mundo 2?e qual a sua actual?

Imbativel: Bem, gostava de te dizer qual foi a 1ª mas acho q ate já nem existe e como lá tive muito pouco tempo nem lembro mais a 2ª e única e aquela em que estou ate hoje, já tendo passado por várias tags, quando entrei era a saudosa FCP sendo actualmente a gloriosa, e grande e inigualável *PAX*.


Mc: Qual é o seu estatuto na PAX?

Imbativel: Sou um dos líderes da *Pax* tendo título de rainha, pertencendo ao concelho da família PAX.


Mc: Falando um pouco sobre a sua vida pessoal, qual a sua profissão na vida real?

Imbatível: Sou operadora especializada de hipermercado.


Mc: Foi mãe á pouco tempo, certo? Como arranja tempo para organizar tanta coisa? Uma tribo inteira, e o seu filho?

Imbativel: Difícil amigo, mas tudo se consegue quando se gosta do que se faz e se faz com gosto. Por norma costumo dizer que sou como os cangurus sempre aos saltinhos, basta distribuir-se bem o tempo e da para tudo, com esforço claro.


Mc: Como explica os grandes feitos tanto seus, como da sua tribo?

Imbativel: Bem, tudo se resume que desde inicio sempre incentivamos todos a que acima de tudo levassem isto como um jogo virtual, no qual todos se deviam divertir e sempre disse que tribo significava, precisamente, união e jogo de equipa. Resumindo, a velha máxima de todos por um e um por todos. Depois sempre houve a preocupação de incentivar todos a participarem no fórum e foi-se criando laços de amizade.

Sendo que mesmo que isto um dia acabe, continuara a amizade, pois existe uma camaradagem e espírito de equipa que nos da muita força. Se e para atacar, atacamos todos se e para apoiar apoiamos todos, pois não e um jogo individualista onde exista a ganância pelas aldeias ou pontuação, e sim onde os grandes dão a mão aos mais pequenos…

Resumindo, somos um grupo de 80 e poucos amigos q se juntam no mundo virtual e ai primamos pela diferença.


Mc: Qual é o seu comentário acerca dos bloqueios recentes, que a sua tribo considera “tendenciosa”?

Imbativel: Penso que muita coisa devia mudar assim como penso que se deste lado há humanos, logo há falhas e cometem-se erros. Desse passa-se o mesmo e isso nunca irá mudar apenas há que tentar arranjar soluções que facilitem a que esses erros tanto de um lado como de outro diminuam ou ate desapareçam. Arranjar modos que o próprio jogo impeça de se cometer certos erros, que eu acredito que muitos são cometidos inconscientemente. O que mais me chocou e revoltou, admito que ate nem foi o bloqueio de contas e perdas de aldeias, e sim os bloqueios no fórum e o apagar posts, isso eu não concordarei em absoluto. Digam o q disserem pois ninguém e obrigado a ler, só lá vai quem quer, só lê quem deseja…

Resumindo, dificilmente se chegara a um consenso entre ambas as partes.


Mc: Só para que fique do conhecimento geral, dos cerca de 300 jogadores bloqueados, quantos é que eram da PAX?

Imbativel: Só sei acerca da minha tribo, que foram 4. Não poderei falar acerca da família inteira, já que não tenho conhecimento.


Mc: A PAX tem uma das maiores famílias da comunidade PT. É fácil de organizar tantas tribos?

Imbatível: Somos um total de 17 tribos e torna-se um pouco mais fácil quando existem bons lideres e quando esses lideres são orientados por dois grandes senhores neste jogo, que se trata do neiva764 e o rastafara1982, duas pessoas que muito admiro…

Reforçando o facto de haver muita comunicação entre todos nós, mas o mérito vai mesmo para esses 2 grandes senhores… Meu beijo grande neles dois.


Mc: Muitos jogadores criticam estas grandes famílias. O que tem a dizer acerca disso?

Imbativel: É normal… Por norma o ser humano critica tudo aquilo que cobiça, que tentam alcançar o que desejam sem conseguir obter, e depois vêem grandes feitos. Acusação e criticar números fica mais fácil que elogiar feitos. É facílimo dizer que somos bons porque somos muitos e não porque somos bons jogadores…


Mc: Para si, qual foi o seu maior feito, tanto a nível pessoal, como no jogo?

Imbatível: A nível de jogo, foi ao fim de quase um ano ver que consegui (não sozinha), unir oitenta e tal estranhos que se sentam atrás de um computador, longe uns dos outros, sem se verem, tornarem-se no que mais idêntico pode haver ,virtualmente, a uma família e serem capazes de se preocuparem uns com os outros e unirem-se nos bons e maus momentos.

Esse para mim e o meu maior feito a nível de jogo…

A nível pessoal foi conseguir chegar a esta bela idade e continuar uma pessoa alegre e bem disposta sem me ter tornado amarga com certos azares e contratempos que ocorrem ao longo dos anos. Continuo a ser uma pessoa que ainda olha aos meios para atingir os fins, esse para mim e o maior feito a nível pessoal. Ser feliz com o que tenho.


Mc: Como chegou a uma líder da tribo PAX?

Imbativel: Quando me lembro… Sendo muito chata com o meu querido amigo líder e rei tiagor, fundador desta magnifica tribo… Não fui chata a pedir cargos, mas um titulo que ele teimava em não dar, porque não se lembrava de nenhum adequado a uma menina. Sim eu era uma nina no meio de lindos guerreiros hoje amigos queridos, e eu sempre fui uma jogadora muito activa no fórum, então ninguém me calava, nem cala. Ainda brincava e acalmava as vezes os ânimos que se exaltavam, dava concelhos e incentivava. Já na altura o divertimento era união. Dei nas vistas na tribo, quando ele precisava de ir de férias e deixou-me a frente da tribo assim, sem água vai nem água vem. Lembro-me de entrar no fórum e ver um tópico a dar-me os parabéns, e eu pensei “. Mas eu não faço anos hoje..” ,e assim dei comigo líder e rainha de uma tribo com plenos poderes. E ate hoje, nunca mais me deixaram largar o cargo.


Mc: Tem alguma sugestão para o Tribos? Alguma coisa que quer que mude?

Imbatível: Gostaria se possível que o jogo permitisse que escolhêssemos uma quantidade de moedas pretendidas q fossem cunhadas em todas as aldeias, por exemplo, em vez de perder tempo em alterar a quantidade máxima de aldeia em aldeia, colocar logo por exemplo 7 moedas em todas. Claro que há coisas mais importantes, mas sinceramente o bloqueio deu-se agora na minha cabeça e não me ocorre nenhuma.


Mc: Qual a pessoa que gostava de ver entrevistada no nosso jornal?

Imbativel: Gostava q fosse o neiva764 e de saber tudo o que me perguntaste a mim. Como começou esta grande obra, e como consegue gerir tão bem esta enorme família também sendo ele um pai de família e trabalhador.


Mc: Quero agradecer-lhe o tempo disponível, que sei que é bastante curto, e desejo-lhe um enorme sucesso no tribos, e muito mais a si e ao seu filho na vida real, com todo o sucesso que desejo para mim.

Imbativel: Obrigado amigo, eu agradeço também o ter sido convidada. E deixa-me só mandar um beijo aos ninos e ninas q comigo partilham as horas que aqui passo e que tanto te chatearam para que fosse eu a entrevistada. Beijo *pax* eu um obrigado a vocês todos. Sem eles eu não era quem sou. Beijo para ti também.


Para comentários a esta entrevista, utilize o nosso forum: http://forum.tribos.com.pt/showthread.php?t=10693

Entrevista com Spydon

Escolhi, agora, um jogador que é conhecido por muitos como o melhor líder de tribos, e certamente também, como melhor jogador de tribos na comunidade PT. É líder do Mundo 2,e líder de uma tribo de unicamente 32 jogadores, que há bem pouco tempo eram 15, o que demonstra a qualidade deste jogador. Estou a falar do Spydon.


Nome: João

Idade: 36

Localidade: Aveiro

Mundos Activos: Mundo 2

Mc: Quero agradecer por ter aceite o convite para a entrevista

Spydon: Obrigado eu, por me terem dado a possibilidade de participar no Jornal, será um prazer!


Mc: Vou começar por lhe perguntar, quando é que começou a jogar Tribos?

Spydon: Há cerca de 2 anos, encontrei um dos meus alunos a jogar Tribalwars durante uma aula. Por curiosidade, em casa inscrevi-me e “apanhei o vicio”… Na altura jogava no Mundo 4 internacional.


Mc: Começou então no Mundo 4 no .net. Ainda se lembra qual foi a sua 1ª tribo?

Spydon: Perfeitamente, chamava-se “Local domination” e era composta apenas por jogadores próximos. Mais tarde evolui para uma tribo pequena, mas extremamente defensiva, chamada “RE – Roman Empire”, onde aprendi imenso. Era uma tribo que protegia os mais fracos e dedicava o tempo a fazer resistência às grandes famílias de tribos que existiam nesse mundo.


Mc: E jogou nesse mundo quanto tempo? Qual foi o melhor “status” que conseguiu nesse mundo?

Spydon: Comecei a jogar nesse mundo, quando os primeiros classificados já tinha mais de 2 milhões de pontos, ou seja, muito tarde e fui parar ao limite do mundo, K41. Efectuei uma “corrida de trás para a frente” e cheguei ao top 5 do ranking da pontuação em aproximadamente 1 ano ou ano e meio. Deixei esse servidor por falta de tempo. Na altura estava a liderar a minha tribo e coordenava os movimentos com várias outras tribos aliadas, gastando mais tempo com diplomacias e estratégias, do que com o meu próprio jogo, por isso entreguei e abandonei o jogo com o objectivo de recomeçar noutro servidor sem nenhum cargo dentro de nenhuma tribo…


Mc: Então, e depois foi para onde? Continuou no .net?

Spydon: Não. Para passar um pouco o tempo, fui até ao mundo 1 Brasileiro, mas evolui um pouco rápido que me vi rodeado de jogadores com pontuações muito mais baixas, reduzindo de tal maneira a minha moral de ataque, que acabei por “dar” as minhas vilas a um colega de trabalho…


Mc: Em que altura decidiu vir para o .pt?

Spydon: Um dia, andava a navegar pela net e soube que já existia um servidor PT, nessa altura inscrevi-me no mundo 2 por ter uma velocidade de evolução maior.


Mc: Qual foi a sua 1ª tribo no mundo PT? Foi você que fundou a tribo?

Spydon: A primeira tribo chamava-se “Rubias” (RBS). Preferi começar sem tribo, e fui abatendo os meus vizinhos um a um. Enviaram-me várias ameaças e convites de tribos, mas optei pela Rubias por ser uma tribo em que não tinha colegas de equipa por perto, para poder evoluir conforme a minha estratégia de jogo, mas também não estavam muito afastados, caso fosse necessário auxilio (da minha parte e da parte dos meus colegas de tribo).

Não fundei a tribo, desde os cargos que tive no mundo 4 .net, nunca mais quis ter cargos. Fundar uma tribo iria obriga-me a ser pelo menos recrutador…

Apenas pretendia jogar, para me divertir, sem compromissos…


Mc: Como chegou então a líder da sua actual tribo?

Spydon: A evolução da “Rubias” era mais lenta que a minha evolução, por isso decidi sair e ingressar uma tribo mais adequada ao meu tipo de jogo. Na altura fui convidado por uma tribo um pouco maior, mas assim que entrei fui enviado para outra tribo graças a uma fusão que por sua vez correu mal e os elementos da tribo original saíram, deixando-me lá sem me dar nenhuma satisfação… por isso, saí aborrecido.

Com a situação e como não tinha tribo, o Yoda.pt convidou-me para o projecto #DT, uma tribo com apenas 4 jogadores que pretendia fazer frente a todos…

Gostei da ideia, enquadrava-se totalmente no meu tipo de jogo e aceitei, levando comigo um jogador aliado (Fred.desyre) que apesar de nunca ter sido preciso, estava sempre pronto a ajudar-me.

A #DT foi evoluindo, dando um pouco nas vistas, devido a sermos muito poucos, mas irredutíveis… Até ao momento em que este jogo deixou de ser um prazer para ser uma obrigação. Nessa altura decidimos em conjunto deixar o jogo e abandonamos.

Só que ao fim de uns 2 ou 3 dias, tivemos de regressar por sentir saudades deste passatempo e cancelamos a “desistência”, decidindo criar a “LR”, a mesma tribo da #DT com a diferença que não termos obrigações e jogamos apenas para nos divertir-mos… Se perdermos umas vilas (ou o jogo todo) ninguém se vai importar, apenas pretendemos um pouco de diversão.

Na LR, há quem diga que sou líder, talvez por ter alguns pontos a mais que os meus colegas, mas de facto não sou, pois a LR não tem líder. Tal como a antiga #DT, os jogadores que ingressam na LR são escolhidos e todos têm a mesma filosofia, por isso existe um grande sincronismo entre nós, conseguindo chegar a acordo facilmente em todos os assuntos.


Mc: Num mundo, que é considerado o mais competitivo, como é que é gerida uma tribo com “somente” 30 jogadores?

Spydon: A tribo evoluiu esta última semana devido a alguns movimentos estratégicos. A semana passada éramos cerca de 15, actualmente somos o dobro. A gestão é muito simples, cada jogador tem o seu jogo individual e quando é necessário jogamos em grupo. Todos são auto-suficientes e conto pelos dedos de uma mão, o número de vezes que foi necessário auxiliar um jogador da tribo. O fundamental é que todos sejam activos e auto-suficientes…


Mc: Em cima, disse-me que era professor. Virando um pouco a conversa para a vida privada, qual o curso que tem, e que disciplinas é que é professor?

Spydon: Tirei duas licenciaturas, uma de Matemática e um pouco depois, outra de Informática. Neste momento lecciono disciplinas de Informática.


Mc: Em que escola?

Spydon : Este ano lectivo, na Escola Secundária de Albergaria-a-Velha.


Mc: Sendo professor de informática, deve ter possibilidade de estar bastante tempo online. Gostaria de lhe perguntar, em média, quanto tempo é que está online, e quantas vezes faz log in por dia?

Spydon: Só não estou ligado à net quando estou a dormir… Se não estou com um pc (ou mac) à frente, estou com o meu Iphone que até para a cama o levo…


Mc: Felizmente, que não sou seu inimigo, e que não jogo no mundo 2 J . Tem algum objectivo pessoal que ainda não tenha cumprido?

Spydon: Relativamente ao Tribalwars, não tenho nenhum objectivo, apenas divertir-me um pouco. Relativamente à vida privada, para além da família, sou um apaixonado pelo motociclismo. Adoro viajar de moto e ainda existem destinos onde não fui. Quando for possível, gostaria de ir ao Cabo Norte, percorrer os Estados Unidos de uma costa à outra, voltar a Daytona (onde estive em 2000 no maior encontro de motos do mundo – cerca de 600.000 motos) e sair um pouco da Europa, pois já a percorri quase toda de moto…


Mc: É então um apaixonado por motas. Que motas é que tem?

Spydon: Só tenho uma e velhinha, mas já passei tantas aventuras com ela, que sou incapaz de me desfazer dela… É uma Triumph Trophy 1200.


Mc: Voltando para o Tribos, sei que também começou uma conta no Mundo 6. É para seguir o mesmo objectivo do Mundo 2?

Spydon: Não, aliás, deixei essa conta há cerca de 15 dias. Apenas fui testar a funcionalidade da igreja, que era uma novidade. A velocidade do mundo 6 é demasiado lenta para o meu gosto. Quando voltar a existir um mundo PT com velocidade 2x (ou superior), então sim, devo recomeçar de novo.


Mc: Tem alguma sugestão para o Tribos, alguma coisa que gostava de ver mudado?

Spydon: Gostaria de ver alterado o sistema da “Moral”. Sei que a moral serve para proteger os jogadores com menos pontos e concordo que exista numa fase inicial do jogo, mas ao fim de algum tempo deveria ir diminuindo. Não se compreende que um jogador que esteja ao meu lado, que tenha começado o jogo ao mesmo tempo que eu, tenha 100.000 pontos. Se não evoluiu é porque esteve inactivo, logo estamos a proteger jogadores inactivos (contra aqueles que querem jogar) em vez de proteger jogadores mais fracos por terem começado mais tarde…

Ou seja, na minha opinião, o factor moral deveria ir alterando ao longo do tempo. Por exemplo, um jogador ao fim de um ano a jogar, deveria dar já uma moral de 100% a qualquer outro oponente.

Outra sugestão que fazia, era de filtrarem algumas palavras ofensivas, evitando assim que alguns jogadores passem a vida a serem ofendidos. Recebo frequentemente mensagens de conteúdo ofensivo, por isso a maioria das mensagens já nem as abro para não me incomodar.


Mc: Qual é a pessoa, da nossa comunidade, que gostaria de ver entrevistada?

Spydon: O Ricardo, Administrador.


Mc: Quero agradecer-lhe pela disponibilidade para esta entrevista, e desejar-lhe as maiores felicidades a nível de tribos, mas principalmente a nível pessoal.

Spydon: Obrigado pela oportunidade que me deram de participar e dar a minha opinião, gostava também de acrescentar que o Jornal é uma excelente ideia para irmos conhecendo um pouco melhor quem partilha dos mesmos gostos, dos jogos de estratégia, nomeadamente do Tribalwars.


Para comentários a esta entrevista, utilize o nosso forum: http://forum.tribos.com.pt/showthread.php?t=10260

Aqui podes consultar artigos, entrevistas e dicas sobre o teu jogo favorito.