Arquivo de etiquetas: caos

Dia a dia do Advogado do Diabo

Ora bem, se até o administrador fala do seu dia entediante, e mais de tal forma agendado que omitiu as pausas para ir à casa de banho, irei também divagar sobre o meu dia que acho deveras muito mais interessante.

A minha manhã inicia-se com um ritual de purificação, espanco o despertador (sem almofadas que isso é muito quiduxo) e vou tratar de mim, meto-me no banho e penso qual será a minha próxima vítima (novo despertador), visto que ainda é madrugada (pois os diabinhos lançam o caos sobre o mundo cedíssimo).

Depois de lavado e manjado é hora de pegar no carrinho e abrir o escritório, como bom ser desprevenido de moral as manobras perigosas nas ruas movimentadas e o uso excessivo da buzina é o meu ritual pagão matinal. Irritar o maior numero dos seres que estão nas filas e mostrar como se faz é bonito.

Ao chegar ao escritório é altura de dar vazia aos clientes, bem eles são sempre mais que as mães e todos com umas histórias mirabolantes… A parte que realmente me chateia neste momento é porque raio eles tentam enganar o diabo? A serio, será que já não é possível confiar numa pessoa que vende a sua alma ao diabo? Desiludem-me… francamente…

Depois de lançar as pragas sobre as criaturas daquele senhor ausente, gozar um pouco com a cara de uns anjinhos moralistas fico com fome. E se tenho fome… Bem, adivinhem lá o que faço!? VOU COMER!!!

Após isso segue-se um outro passatempo muito bom… questionar e importunar os sacerdotes da sabedoria em templos obscuros e duvidosos. Questionar sobre tudo e todos, criar o nevoeiro à volta do seu deus e perguntar “ainda tem a certeza da sua existência”. Infelizmente este é um passatempo que rapidamente me leva à remoção dos seus templos, até na casa destes senhores somos mal vindos e olhados.

De tanto me agarrar às cadeiras e suplicar apenas mais uma pergunta fico exausto e naturalmente com fome, pego no objecto de telepatia e escrevo os meus pensamentos que envio aos pobres coitados que ainda me aturam – vamos jantar e sair?

A comida está sempre boa! Mas o verdadeiro apogeu do dia começa com a hora das bruxas, quando o sol já não se vê e a lua atordoa as presas. Começa o jogo das seduções, olhar à minha volta e procurar na multidão aquela cara nova e anónima (sim porque o nome é o menos importante). E assim começam as promessas de um amor ardente até ao final de tal noite, algo mágico e único (pois duvidosamente se repete).

À medida que nos afastamos, paira apenas uma questão será que o meu despertador toca na tua mesinha de cabeceira?

Isto sim é um bom dia!
O defensor de todos que não precisam de horários para ir à casa de banho.