Arquivo de etiquetas: cara metade

14 de Fevereiro…

Dizem que esta data é especial dos corações apaixonados, uma espécie de Natal para os casais… Bem, o estado nem considera esta data especial, ora não consta no calendário dos feriados oficiais e creio que sabemos que o estado tem vindo a apostar no aumento das taxas de natalidade…

O dia de São Valentim, na teoria é aquele dia do ano para os pares apostarem e fazerem algo especial na sua relação. Graças a este santo temos um dia para nos preocuparmos com a cara metade… pois nos restantes 364 dias do ano devemos descansar de tais esforços…

Na realidade, considero o dia 14 de Fevereiro de 2010 uma data muito especial pois é Ano novo lunar no calendário Chinês! Uma celebração única e digna de se ver. Este vasto país e místico já nos remotos tempos estavam isolados das convicções do correcto (a visão ocidental) e prosseguiu a sua própria cultura e identidade única, deixando para trás os calendários julianos e gregorianos.

O dia 14 de Feveiro deste ano, marca-me um tempo de reflexão sobre quem somos, de onde vimos e para onde vamos…. Ou seja um Quo vadis de ano novo. Há muito a ser dito sobre as nossas origens e diluições da nossa cultura, ora um exemplo que não consigo deixar de fora é a numeração. Ora nós povos latino romanos, abandonamos a numeração romana pela árabe mantendo a nossa escrita em letras latinas, já os povos árabes mantém o seu alfabeto mas utilizam a numeração indiana.

Que tem isto tudo a ver com o dia 14 de Fevereiro? Nada e tudo, o dia 14 é um dia especial para muitos por uma questão meramente cultural, mas continuará a ser sempre assim? Vejamos mais um dado curioso desta data, este ano de 2010 o dia dos namorados coincide na proximidade do Carnaval. Se tivesse de fazer algo de diferente e especial nesta data apostaria numa viagem romântica… o destino da maioria das pessoas com certeza seria Paris, contudo como cidade de romantismos não haja dúvida que iria eleger Veneza, mas nesta data é a semana do festival da carne (carnaval) nesta cidade.

Então levanta-se a questão, o dia dos namorados será? Um dia como os outros? Algo especial e romântico? Um novo início? Ou a folia do Carnaval?

O Santificado Advogado do Diabo.

Beleza (interior!?)

dollyFaçamos jus à velha máxima, gostos não se discutem.

Como primeiro tópico desta iniciativa foi decidido partilhar uma das mais velhas discussões na equipa, o que conta mais a beleza exterior ou a interna?

Fica a boneca como recordação 🙂

AngelA beleza interna é a que irá perdurar imutável no tempo, é esta que não vai ganhar rugas com o passar dos anos. O encaixe emocional e de valores é a forma saudável para a construção de uma relação duradoira.

A beleza interior é caracterizada pelos valores e padrões pelo qual uma pessoa se guiará ao longo da sua vida. Mas esta é amoral (sem preconceitos). O facto de uma pessoa ser gananciosa não a torna mais feia (internamente), pois há quem procure isso na sua cara-metade.

Então porque é que a beleza exterior é a mais importante? Simples, se alguém não se sentir atraído a outra pessoa pelos seus padrões e valores graves acidentes podem ocorrer, por exemplo:

O João é um rapaz financeiramente responsável e não gosta de esbanjar dinheiro em coisas supérfluas, porem a respectiva parceira – Maria, é consumista compulsiva de relógios. Um dia a Maria chega a casa e conta ao João que gastou 5 vezes o ordenado dele num relógio que irá usar apenas uma vez.

Admite-se que se acontecer apenas uma vez é possível encontrar uma solução porque ambos estão muito apaixonados, agora o que acontece quando isto acontece de 3 em 3 meses num casamento de 5 anos. Por mais bonita que a Maria seja, o João não irá suportar viver nesta situação levando à ruptura da relação.

Naturalmente, o exemplo usado é um exagero da ideia, porém é possível e só serve para mostrar que as pessoas não devem olhar apenas para o exterior.

Moralmente, quando questionadas as pessoas, surge o dilema – Digo interna ou digo que são ambas? – Rara é a pessoa que imediatamente dirá a externa é a fundamental.
Porém, a beleza exterior é deveras importante e muito mais que as pessoas gostam de admitir. O lado dos bonzinhos conta e explica que para uma relação ser saudável e estável há que dar a máxima importância à beleza interior e se esta é ou não compatível com a nossa pessoa.

DevilBem, lá terei de ser o advogado do diabo… Primeiramente, nem todas as relações foram feitas para durar. Nos dias que correm cada vez mais se vive as relações da velocidade da luz. Basta parar um pouco para pensar nas mensagens grátis – o que antes demorava pelo menos 3 semanas para conhecer uma pessoa é agora substituído pelos namoros de distância das 24h. O João acorda e já está a enviar a tal mensagem de bom dia à Maria, e é assim que acorda o pombo-correio supersónico da actualidade (também conhecido como SMS) que tem apenas descanso após varias mensagens de “boa noite”, “bons sonhos”, vou sonhar contigo e tu?”, “estou com saudades tuas” e os famosos “gosto muito de ti” ou mesmo o “adoro-te” com ou sem “muito”, etc.

Entre as mensagens de bom dia e boa noite podem estar até centenas de mensagens de variados conteúdos entre os quais planos e negociações para um futuro tanto próximo como de longo termo. A verdade é que o mundo mudou e anda muito mais rápido, hoje em dia as pessoas podem apaixonar-se pela beleza interna ou desiludirem-se à velocidade da SMS.

Ok, péssimo advogado do diabo, afinal isto tudo é dar argumentos aos “bons da fita” – Não! Mas admito que a beleza interna tem a sua importância no longo prazo, se e só se for a tal relação para durar e aprender algo.

A cereja no topo do bolo é mais simplista e básica, como foi que o João conheceu a Maria? Como é que as pessoas conhecem outras pessoas?

Antes de aprofundar este assunto, preciso dizer: sim há pessoas que se conhecem online, até sem usar Webcams! É Possível ir para um encontro às cegas!

Seja num bar ou o primeiro encontro depois de muitas conversas na Net (com as tais SMS incluídas), se ambos não fizerem um certo clique químico nesse momento a pseudo-relação morre nesse momento (por muita boa vontade que haja).

Porque? Ora dividindo isto em duas partes, no bar simplesmente um dos dois com certeza não vai dar ao outro o seu número de telefone – é básico. Já no “blind-date” o desinteressado irá mais cedo ou mais tarde de forma gentil dizer que o mais importante é a amizade que existe entre os dois (manobra conhecida como: killer-friend).

Antes de rematar com a conclusão, como disse no inicio os gostos não estão a ser discutidos, uma pessoa não passa a ser um monstro apenas por ser baixa, alta, magra, gorda, loira, ruiva, morena, etc. O conceito de beleza, apesar do mito social é feito na percepção de cada pessoa.

O amor platónico é um conceito puro e bonito, mas não é mais que as batatas fritas, são um bom acompanhamento para muitos pratos. Mas para lá chegar é preciso descascar as batatas.

Não é suficiente para morrer para o mundo, como disse antes há fundamentalmente dois tipos de relação: para aprender e para viver. Ambas são vitais para uma vida normal.

Advogado do Diabo

Comentar o artigo