Arquivo de etiquetas: google

Facebook!?

de: http://www.ipjornal.com

Nos últimos meses tenho acompanhado na imprensa diversos artigos relativos ao facebook e ponderado como este veio alterar a nossa vida…

Espero que este seja o tal artigo que finalmente escrevo de inicio ao fim sobre as redes sociais, visto que passou ano e meio que iniciei o primeiro esboço sobre esta temática tão em vogue nos dias actuais. Ano e meio atrás… A minha primeira ideia era demonstrar como o facebook tinha vindo a substituir o Hi5 (para quem ainda se lembra deste).

A história…

O Hi5 iniciou a sua actividade em 2003, seguindo o exemplo dos seus rivais Friendster e MySpace, e teve um enorme sucesso no mercado português, aquilo que hoje se chama de “geração X” iniciou o cyberdating como práctica comum e a geração (Y) actual quase que já nem vive sem esta.

O Hi5 foi noticiado pela Newsweek em 2009 como sendo o euro trash do facebook, à medida que ia perdendo a sua cota de mercado para este novo produto. Este ano foi claramente o ano em que o facebook marcou-se como líder de mercado, deixando para trás o orkut (gigante da Google no Brasil), Hi5 (mercado Portugues), Friendster, MySpace, …

Motivo de sucesso?

O facebook acabou por triunfar sobre os restantes por um motivo muito simples, consegui juntar as funções que nos agradaram dos concorrentes e removeram aquilo que era altamente frustrante de ter de aturar. No facebook podemos estar ligados aos nossos amigos e aumentar a nossa rede social de uma forma uniforme e sem os efeitos ridículos que o Hi5 permite… era irritante abrir a página de uma pessoa e ser bombardeado com uma banda sonora tirada de um filme de Bollywood (Hollywood da Índia)…

E aquela miúda gira que vimos na outra festa, que ficamos apenas com o nome? Como podemos a encontrar? Com 50% de probabilidade basta irmos à página do evento, porque de certeza que existe, e vermos quem disse que ia…

Até à poucos dias, falava-se que se não estava no Google é porque não existe… hoje poderemos começar a dizer que se não está a fotografia no facebook não é verdade.

Partilhamos vídeos, fotos, links tal como no MySpace, procuramos as pessoas que tem interesses similares aos nossos tal como faríamos no Orkut, Hi5, etc… Cada vez estamos mais ligados aos amigos e aos “estranhos (amigos)”.

Problemas evidentes do Facebook

Logo no topo das reclamações está a privacidade, este é de certeza o maior risco e a pior das reclamações. Pois o facebook é uma maquina de guerra no que toca à privacidade, nós conseguimos controlar quase tudo o que queremos que a outra pessoa saiba de nós, ou um dado grupo.

É neste aspecto que o facebook realmente triunfa em relação aos seus concorrentes… Podemos ter um perfil para aqueles com quem somos próximos e queremos partilhar a nossa vida, com os colegas de escola, com os colegas de trabalho, com os futuros engates, com os desconhecidos, etc. Isto tudo com umas poucas horas de trabalho de configuração da conta.

Para mim, o real problema do facebook é quem nós somos… se visitassem o meu facebook pessoal, pensariam que eu era apenas borgas e bejecas com os amigos, que passava a vida a fazer férias e a viajar… Sim, eu faço isso tudo! Mas também tenho os meus maus momentos e são esses os maus momentos que podemos optar ou não por partilhar com os nossos “amigos”… será que desejo partilhar com o mundo que terminei uma relação de x tempo? Ou que estou em casa doente? Entre muitas as outras coisas…

A questão que se levanta com a privacidade, não é tanto de uma configuração de permissões, quanto a de educação daquilo que quero partilhar com o mundo! Naturalmente se acabei uma relação e estou preparado para voltar a reatar uns laços com uma amiga que na altura foi apenas um momento estranho seria simples alterar o estado e ver a aparecer no mural, esperar um pouco até os comentários começarem a chover… e se isso não chegasse, dar um toquezito à amiguinha…

A privacidade acaba sempre por ser o quanto nos queremos expor e o passo que a sociedade virtual leva. É nada mais nada menos que uma imposição de limites a nós e não a um espaço virtual.

Facebook vs (LinkedIn, Xing, …)

Já estivemos a divagar como o facebook interfere na nossa visa social, contudo começa a ser uma pratica comum usar o facebook como rastreio de candidatos a empregos. Isto é, pode até ser muito divertido sair com os amigos apanhar umas cervejas a mais e tal, mas ter essa fotografia como a de perfil é a causa numero 1 para se perder uma oportunidade de emprego… isso e as fotografias que fazem as outras pessoas pensarem que são uns pobres coitados desalojados que não têm a possibilidade de arranjar um quarto…

(neste momento: há pelo menos uma pessoa a pensar e as fotos que já estão as pessoas num quarto? Simples, voltem a ler a política de utilização do facebook e depois comparem com a de um Tube qualquer que não é o YouTube!)

Voltando ao assunto anterior, o LinkedIn, Xing e outros continuam a ter um espaço muito importante no mercado visto que é um motor de busca baseado em aptidões e contactos profissionais sem grandes laços à vida boémia das pessoas. Visto que o facebook ainda não permite a busca de dados profissionais.

Facebook vs wiki

Nesta altura alguém deve estar a dizer, que devo andar parvo e acabei por tocar num aspecto que não tem nada haver… Afinal de contas o facebook até se liga à wikipedia…

Esta comparação é feita como fruto da comunidade estudantil dos tempos que correm, ora fosse eu capaz de esquecer numa apresentação de um trabalho universitário estar a ver o orador a ler de uma folha de papel cujo cabeçalho tinha o logo da wiki…

Assim sendo, para fins de argumentação digamos que a wiki é uma fonte valida de conhecimento.

O facebook na área das ciência sociais ainda é melhor! A wikipedia, na bastarda ciência (social) é sempre a interpretação de alguém, já o facebook são os dados fiáveis para analisar uma hipótese e formular a nossa interpretação.

Ainda ontem estava a ler um artigo divinal do Telegraph sobre as relações e o facebook. Que passo a resumir:

“A maior taxa de ruptura de relações acontece à segunda-feira e antes do dia dos namorados” o artigo ainda explicava mais alguns aspectos sobre a “Spring-break” como sendo o ponto alto, contudo em Portugal deverá ser seguro dizer que isso deve ocorrer em tempo de queimas e outras festividades universitárias. Mas deixo-vos aqui o gráfico para tirarem algumas conclusões engraçadas, relembrado que o estudo foi feito em base das mensagens de mural.

O futuro?

O facebook foi uma revolução significativa na forma de comunicarmos, mas não foi a melhor invenção desd’o pão fatiado sem côdea. Neste momento está a atingir o seu auge, contudo todos os modelos apontam para o seu decréscimo futuro e “substituição”, da mesma forma que este substitui em parte as SMS pelas mensagens de mural.

Qual será a próxima revolução instrumental na nossa forma de viver? Ainda é cedo para determinar, mas se ela ainda não se estiver a materializar já deve andar num papelinho qualquer ou na cabeça de alguém (quem sabe se não na vossa).

Conclusão (se há alguma a tirar)…

Os perigos e benefícios da internet somos nós que os criamos, cada qual é responsável por determinar que dados decide tornar públicos e quais as suas afiliações.

Não devemos culpar avalanche tecnológica pela falta de privacidade, quando somos nós que permitimos ser arrastados por ela… seja na nossa vida profissional, social ou amorosa.

O espaço virtual está realmente cheio de pessoas parvas, contudo nós temos sempre a opção de bloquear a nossa vida a essas pessoas, tal como no dia-a-dia físico.

Ninguém é obrigado a nada…

O defensor dos pecadores,

Advogado do Diabo.

Entrevista a KingCharles

De realçar que a entrevista foi retirada na íntegra do skype logo é natural que existam certos erros ou incorrecções.

Nome: Carlos
Idade: 36 anos
Profissão: Gestor de Empresas

Lamios – bem vindo, e obrigado por ter aceite o convite.

KingCharles – O prazer é todo meu e sinto-me lisonjeado pelo convite.

Lamios – Comecemos então pela pergunta da praxe. Como conheceu o tribos?

KingCharles – Conheci o tribos num regresso a casa pós férias de verão. Nesse verão tinha jogado com os amigos Catan (de tabuleiro) e o jogo-se tornado o vicio das noites de 6ª e Sábado com os amigos. Então resolvi procurar o jogo on-line ou similares e saiu-me o TW numa pesquisa.
Entrei no PT3 com o mundo mais do que aberto, dado que já haviam jogadores com 350.000 pts. Foi assim, através do amigo google.

Lamios – passando à proxima. Em que mundos jogou? Já jogou com outros nick´s? Se sim, quais’?

KingCharles – Jogo sempre com o mesmo nick, tentei começar o mundo com outro nick, mas como estava ocupado, usei o King, porque pela introdução me parecia ser adequado e o Charles porque é como o meu filho me chama quando quer alguma coisa, logo ficou KingCharles.
Joguei PT3, PT6, PT9, BR22 (para fazer tempo e acalmar o espirito) e um speed BR, mais 4 speed no .net!

Lamios – Passando às perguntas complicadas. Todos o conhecem como líder e fundador da Quiet… pergunto-lhe se houve um jogador, no servidor PT, que o inspirasse mais do que qualquer outro ao projecto que a Quiet foi e é, e que contribuiu assim de forma indirecta para o seu sucesso.

KingCharles – Bom antes de responder a essa pergunta de forma directa devo referir que o mundo que mais me marcou foi o PT3, afinal não há amor como o primeiro e sem dúvida que houve vários jogadores que me marcaram e alguns deles poucos se lembrarão. Acho que um dos jogadores que me marcou pela positiva foi um grande amigo reformado do TW que foi o Henriport76, bem como o PowerOn e o meu amigo Pinhas75 que ainda espero ver no PT13, Zezuria e o Habitarium marcaram o meu inicio.

Seria no entanto desadequado dizer que os meus inimigos não me marcaram igualmente, e aprendi muito com eles. lembro-me por exemplo que o meu primeiro confronto de ideiais foi com o MC Ferrari no PT3 e como tal aprendi muito neste mundo!

No PT6 tive a minha primeira aprendizagem pela negativa e por uma questão de diplomacia não vou sequer referir com quem mas nunca tinha visto um mundo com tanta espionagem e que fosse tão ofensivo do ponto de vista pessoal. Ganhei nesse mundo um amigo de gaia que se tornou inseparável que foi o jpintassilgo e como inimigo de estimação o Trocha e os MyMYM, sendo que o trocha hoje é da mesma equipa e partilhamos muitos ideiais.
Por fim porque não poderia deixar de referir e peço desculpa se me esquecer de alguém, há outras pessoas além destas que me marcaram muito como o rjesus (vizinho de sempre), Wild Cat, RuiPet e Galactica3000, uns pelo talento outros pela boa disposição que é algo que valorizamos nas tribos que lidero, o que chamamos Divertimento Profissional 🙂

Lamios – proxima: gostaria que me descrevesse o aparecimento da Quiet pela primeira vez, como lhe surgiu a ideia, como foram os primeiros dias… e se esperava que tivesse tal sucesso.

KingCharles – Bom a Quiet! nasceu de uma ideia que começou no PT6 com a =69=. Para quem se lembra, no PT6 a =69= estava em primeiro lugar e saimos alguns para ensaiar a Quiet! e passado um mês estavamos outra vez em primeiro.
Procurando responder à pergunta, a Quiet! e todas as tribos que lidero são alvo de um conjunto de medidas que funcionam mas que não são faceis de implementar. Transportei a experiência de gerir 2200 pessoas diariamente para o TW e com formulas experimentadas de gestão de carreiras pelo que obviamente que poderia não funcionar, mas aplicados os principios se existir talento ele aparece! Devo dizer que todo o sucesso da Quiet! se deve a principios básicos como o “Up-Or-Out” (cresces na carreira ou sais) e a uma expressão que quem joga comigo conhece e que é “Todas as tribos do TW podem ser um bordel (sem ofensa) onde cada um faz o que quer, mas aqui Há Madame, sou EU!. Uma frase simples como esta parece estranha e dá para rir, mas traduz os principios de alinhamento organizacional de qualquer empresa que como muitos sabem tem principios de Sun Tzu aplicados em muitos casos. Mentiria se dissesse que não acreditava no sucesso da Quiet! pela qualidade do talento reunido. 🙂

Lamios – Proxima: gostaria de saber qual é aquele que considera o melhor jogador do servidor português, se tivesse que escolher um.

KingCharles – Essa é uma pergunta dificil, para a qual não tenho resposta dado que existem muitos, mas mesmo muitos excelentes jogadores de TW onde apenas a disponibilidade marca a diferença. Mas respondendo de outra forma acho que o melhor foi o colectivo de tribos como a =W= e a =*= do PT3, A Quiet!, da Birlik, da ~GT~ e dos LosM.
A nivel individual aprecio jogadores de ataque e posso enumerar alguns tais como ElMatador34, PowerOn e muitos outros 😉

Lamios – A mesma pergunta, mas para a melhor tribo, e não vale dizer Quiet.

KingCharles – Antes de mais o que valorizo numa tribo são caracteristicas como a União, sentido estratégico e Amizade. Portanto e falando do que vi a melhor tribo que já conheci foi a =W= do PT3. Poucos mas bons, amizade total, era como se as aldeias fossem de um só!

Lamios – Agora a pergunta que gerou polémica na entrevista ao gatekeeper… O que acha dele, e da birlik?

KingCharles – Tive a oportunidade de comentar a entrevista e o Gatekeeper parece-me antes de mais uma pessoa com excelentes principios e valores. Nota-se que é uma pessoa organizada e que sabe o que quer e a persistência é um dos seus pontos fortes, salvo  a comparação, é um muro de trabalho na Birlik que gere e desenvolve bem o talento que tem na tribo e que o sabe aproveitar em conjunto com jogadores como o relaxxx entre outros.

A Birlik considero que tem um colectivo muito forte e pode lutar pela liderança deste mundo. É uma tribo à imagem do seu lider, trabalhadora, humilde e com espirito de conquista. Como tinha algumas duvidas, resolvi fazer o trabalho de casa e andei a ler PT10 e como tal, espero uma tribo de topo com muito talento individual em alguns casos e acima de tudo com muito talento colectivo. Vai ser uma boa guerra se nos cruzarmos 🙂

Lamios – Gostaria de saber se gostaria de destacar qualquer outra tribo neste PT13, ja que a concorrencia é muita.

KingCharles – Gostaria de destacar a TMK, FNATIC, SPAM, Old School, da UA, HOSP, da LE além da Birlik como referi. Destas espero o melhor para este mundo e depois existem uma segunda linha de tribos que podem fazer surpresas como a KIA por exemplo, além de algumas que seguramente surgirão.

Lamios – No PT9 era persona non grata no forum, e rebaixado pelos jogadores de tribos adversarias. Foi isso um factor decisivo da sua desistencia? Se não, o que o levou a tal?

KingCharles – Boa pergunta
As pessoas do PT9 sentiram-se muito incomodadas com o sucesso da Quiet! relembro que era em tudo pontos e OD’s todos. O dobro do 2º e mais do que o 2º e 3º juntos.

Tudo o que dizia no fórum era alvo de análise detalhada e de comentários às vezes desagradaveis no plano pessoal até, mesmo quando não nos conheciam de lado nenhum.

A minha desistência no PT9 nunca se poderia relacionar com esses comentários de outras tribos, dado que como diz o diatdo “Quem anda à chuva molha-se” e estou preparadissimo para eles. Sobre esse período não voltarei a falar em detalhe dado que quando abandonei o mundo expressei publica e em privado o que me fazia desistir .
Além disso coincidiu com um período laboral muito complicado e como tal já me aborrecia mais do que o que me divertia e resolvi que estava na minha hora.

Lamios – O que acha da actual prestação do ? 0.o e do luigy como lideres da quiet, e do rumo que estao a dar à tribo?

KingCharles – Antes de mais dizer que como jogadores os tenho em elevada consideração sendo que nunca fui liderado por eles e como tal não posso testemunhar o que se passa na Quiet! do PT9 actualmente.

Não acompanhei nem acompanho o desenrolar dado que só voltei a abrir conta naquele mundo para ir buscar amigos para o PT13.

Contudo, dizer que existe a Quiet! sem a minha liderança ou jpintassilgo é algo que não consigo conceber do ponto torico. Desejo-lhes boa sorte e qualquer que seja o seu caminho que se divirtam, sendo que a minha ideologia é sem alianças, PNA’s e familias e espero que continue a ser a deles.

Lamios – Para terminar porque isto ja vai longo… Gostava que me dissesse aquela que considera a sua maior qualidade enquanto jogador e o seu maior defeito, e também se pudesse mudar algo que fosse no TW, o que seria.

KingCharles – A minha maior qualidade como jogador diria que é “Capacidade de análise estratégica”. O meu maior defeito, são muitos, mas como tenho de escolher um: Farto-me se os objectivos se tornam faceis, gosto de coisas dificeis.

Se pudesse mudar algo no TW não mudava nada, acho que o TW está bem pensado e alguns dos defeitos que referimos são humanos e se mudassemos iamos a cada passo passar a ter outro jogo que não aquele que nos faz passar aqui horas.

Lamios – Foi um prazer falar consigo.

KingCharles – Obrigado e desejo as maiores felicidades no jogo à comunidade do PT13 e que continuem com estas acções de publicação.

Grepolis

heraPara os menos informados a InnoGames GmbH, o Grepolis, um jogo baseado na Grécia antiga e nos seus deuses.

Os administradores do Tribos.com.pt na ultima semana têm estado a testar arduamente este novo jogo, e após varias horas de sono perdido e de gritos de guerra no Skype “VOU TE NOBLAR OH ANDRÉ!” ou então “já foste!” tal como a famosa expressão “Ricardo, os meus pontos premium”…

Entã0… após uma semana de testes que temos a dizer:

O West e o Tribos chegaram a um consenso e o resultado é o Grepolis. A tecnologia do jogo é simplesmente WOW! Os gráficos são um novo patamar para os jogos de browser.

Em nome da equipa, tenho a dizer que há muito tempo que um jogo não nos tirava tantas horas de sono apenas pelo prazer de enviar tropas, desenvolver a cidade e “tribo”.

As novas funcionalidades do Grepolis tanto a nível de jogabilidade como  no espirito de “tribo” foram muito melhorados, havendo desafios pessoais tal como colectivos.

InselO Mapa é mais uma das grandes inovações do jogo, um pouco parecido com os mapas do The West com gráficos que fazem lembrar o Google Earth.
Feuerschiff

Algo que rapidamente salta à vista de todos é o mar… E a resposta é sim! preparem-se para batalhas em terra, como batalhas navais!

À medida que temos andado a jogar o Grepolis, ficamos apenas desiludidos com um pequeno aspecto, para um jogo sobre a Grécia antiga onde andam os Deuses? Porque é que Zeus não foi convidado? Na realidade o Grepolis tem Deuses, a mitologia grega não foi esquecida neste jogo. Nós é que ainda não chegamos ao templo para oferecer os nossos tributos ao deus pagão da antiguidade.

zeusIremos deixar-vos com apenas mais uma pequena imagem, a do Deus dos Deuses – Zeus!

Esperamos apenas que ele não tenha reparado que tinha sido esquecido e afaste todos os bugs deste novo jogo.

Assim que tivermos mais novidades, ou o André for conquistado daremos informações.