Arquivo de etiquetas: judaica

Páscoa – A Ressurreição de Jesus

“No primeiro dia da semana, muito cedo, as mulheres foram ao sepulcro, levando os perfumes que haviam preparado. Encontraram removida a pedra da porta do sepulcro e, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus. Estando elas perplexas com o caso, apareceram-lhes dois homens em trajes resplandecentes. Como estivessem amedrontadas e voltassem o rosto para o chão, eles disseram-lhes: «Porque buscais entre os mortos aquele que está vivo? Não está aqui, mas ressuscitou! Lembrai-vos de como vos falou, quando ainda estava na Galileia, dizendo que o Filho do Homem havia de ser entregue às mãos dos pecadores, ser crucificado e ressuscitar ao terceiro dia.»

Recordaram-se, então, das suas palavras. Voltando do sepulcro, foram contar tudo isto aos Onze e a todos os restantes. Eram elas Maria de Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago. Também as outras mulheres que estavam com elas diziam isto aos Apóstolos; mas as suas palavras pareceram-lhes um desvario, e eles não acreditaram nelas. Pedro, no entanto, pôs-se a caminho e correu ao sepulcro. Debruçando-se, apenas viu as ligaduras e voltou para casa, admirado com o sucedido.”

Esta citação bíblica (Lc 24, 1-12) relembra-nos a ressurreição de Jesus Cristo. Esta morte deu-se no terceiro dia após a sua morte, e é simbolizada pelos cristão como a Páscoa.

Porém a história da Páscoa é anterior a Cristo. Esta era uma prática judaica onde os judeus comemoravam a libertação e fuga do seu povo escravizado do Egipto. Páscoa significa passagem, e este sentido é dado não apenas pela libertação do povo judeu, mas também pela passagem de Inverno para Primavera.

Porém não se deve confundir a Páscoa Cristã com a Páscoa Judaica (Pessach – origem da palavra Páscoa) embora a Páscoa derive de Pessach não são a mesma coisa. Enquanto que os cristão celebram a ressurreição de Jesus, os Judeus celebram em lembrança da morte dos primogénitos do Egipto e da libertação dos Israelitas.

Num dos meus artigo (Sim, é Carnaval) eu referi como era calculada a Páscoa, voltando a relembrar, a Páscoa celebra-se no primeiro domingo após a primeira lua cheia que se segue ao Equinócio de Primavera. Por outras palavras, há dois dias do ano em que o dia tem a mesma duração que a noite (Equinócio de Primavera e Equinócio de Outono), e isto marca a mudança de estação. A Lua tem várias fases, sendo uma delas a lua cheia, ora, a Páscoa dá-se, pois, no primeiro domingo após a primeira lua cheia seguida do equinócio primaveril.

Desejo-vos, em nome de toda a equipa de suporte,  uma santa e feliz Páscoa a todos, a cristãos, a judeus, a muçulmanos, a outros fiéis, a ateus e a agnósticos também.