Arquivo de etiquetas: passado

Tribos: antes e agora, por kempokamoritz

Olá, comunidade!

Venho-vos apresentar uma “crónica”, uma espécie de túnel do tempo. Iremos relembrar os tempos antigos do jogo, o tempo onde não existia nada do que existe agora, inclusive, o recrutamento em massa, que era uma simples miragem ao fundo do túnel…

O que mudou do começo para cá?

Muitas coisas mudaram, todos os “antigos” sabem.

O recrutamento em massa, como já foi dito, tão utilizado por nós, trouxe a mudança e sem ela o sistema de renomeação de ataques simplesmente não existia – e poucos de nós conseguiriam renomear os ataques recebidos. Falo dos tempos de viagens, nos detalhes de ataques recebidos. Também a renomeação de comandos enviados, foram das primeiras e grandes mudanças do Tribos.

E os acampamentos militares, alguns ainda tiveram a oportunidade de experimentar as suas funcionalidades. No início foi esperado por muitos jogadores, pois, finalmente, os jogadores ofensivos tinham alguns benefícios. No entanto, devido ao motivo que levou à sua implementação não ter sido o que os desenvolvedores tinham em mente, não teve o sucesso esperado. Foram retirados.

O famoso Sistema de Reservas foi um grande passo para o Tribos. Toda a gente conhece, toda a gente precisa. Lembram-se do tempo das milhentas secções no fórum, onde reservávamos as aldeias à mão? Divididas por continentes e/ou tribos adversárias, mais as bárbaras… Que confusão! Mas agora já não.

As célebres medalhas são mini metas que os jogadores vão alcançando, sejam sprinters ou endurances, há para todos os gostos. Ao longo do tempo, várias e novas medalhas foram adicionadas e, sobre elas, um ranking de quem tem mais pontos com as medalhas. Isto é uma opção que não deixa a competição esmoronar-se, ao ver-se quantos nobres já conseguiram matar, quantas tropas por dia, …, e para se mostrar mais ativo ou melhor estratega, comparando as medalhas de saqueador, diárias e não-diárias.

Como é que as mudanças afetaram a forma de jogar?

Todas as ações têm consequências e as mudanças táticas de jogo, com as novas implementações, não foram diferentes.

Desde que a redução do tempo de evolução de um edifício foi implementado, quem não faz uns cortes? Considera-se isto uma mudança de tática, pois aumenta a rapidez da evolução. O corte nos custos, também não foi exceção.

Mas, na totalidade, com este tipo de implementações a estratégia em si não mudou, desenvolveu-se. Desenvolveu-se, pois aprende-se, melhora-se com o tempo de jogo, todos os jogadores, mesmo que já joguemos isto há anos, há sempre algo a aprender.

Quais os pontos positivos? E os negativos?

Como tudo e como em tudo, há sempre pontos positivos e negativos.

O jogo, antigamente, era muito menos rápido, muito mais manual. Contava o tempo online, a pura estratégia do jogo, coisas que muitos de nós gostavam que voltassem a existir. Quando se farmava sem a facilidade de scripts ou do Assistente de Farm, era o mais paciente o melhor do mundo. Agora jogamos em co-play, o desenvolvimento da estratégia que nos leva a novas formas de jogar para combater contra quem utiliza outros recursos que substituem a sua paciência. Antes a estratégia fazia do jogador o mais temido, agora mais do que sempre, o tempo vale ouro.

Tudo evolui por necessidade, ou por opção, para melhores resultados. Mas há sempre algo que se torna justo para ambos os lados e, principalmente, que devolve de flores, para pequenas e frágeis sementes, com cuidados necessários, para se tornar algo bonito, capaz de iluminar o mundo e mostrar uma nova era.

O Tribos era mais disputado antigamente ou tornou-se agora mais competitivo?

Muitos jogadores, vários estilos de jogo, várias ideologias do que será o melhor, 2 únicas opções possíveis: antes ou agora?

Naquele diferente tempo, horas a fio passadas online no jogo, no MSN, Skype e até por telemóvel, a decidir os próximos movimentos, a combinar as horas para os apoios… Movimentos lindos, que tornavam uma equipa num único jogador com uma força espantosa.

Com os planeadores que nos mostram as horas a que temos de estar online para coordenar-mos um ataque, o Gestor de Conta que nos avisa quando recebemos um ataque, ou até uma mensagem. Tudo isto reduz o tempo necessário online e deixa a balança mais equilibrada para outro tipo de jogadores.

Mas tudo muda, tudo evolui. Estas são as diferenças dos tempos antigos, comparados para os tempos de agora.

Cada jogador tem a sua opinião, como disse: “muitos jogadores, vários estilos de jogo, várias ideologias do que será o melhor, 2 únicas opções possíveis”.

Obrigado pela leitura e bom jogo para todos os Tribalistas.

kempokamoritz 

Pérolas da vida: a universidade

Já lá vão meses que aqui não escrevia, contudo esta semana começa algo tão único na vida de muitos que não podia passar em branco, as inscrições na universidade. Quero dedicar este artigo a todos que me ajudaram nos meus percursos académicos, a quem começa agora o seu, aos meus pais (por toda a sua paciência), aos amores e ódios que acumulei neste percurso e a ti.

Nada pode contextualizar o inicio de aulas na universidade que a expressão “vida nova”. Hoje começa o primeiro dia da tua vida, e nada será como foi… tudo agora é novo, é como uma montanha russa cheia de cores, sorrisos, lágrimas, realizações, desesperos, felicidade e tristeza.

Esta é a oportunidade para te reinventares, e decidires quem irás ser e quem não irás ser… esquece os valores de outros tempos, pois ao entrares no templo do saber irás ao longo dos anos compreender que não és quem pensavas que eras, que és capaz de mais que alguma vez sonhaste e menos que imaginavas.

És um filho “bastardo” dos deuses, que serás amado e odiado, que amarás e desprezarás seja pelo corpo docente, pelos colegas, pela família, pelos amigos e restantes. E no final serás não o que queres ser mas aquilo em que te transformaste, agora está tudo nas tuas mãos – o futuro é teu e só teu. Ao longo, dos vários anos e várias universidades aprendi lições únicas para a vida, que hoje partilho contigo,

1- A praxe…

Tal como as típicas cervejas do bar com os amigos, a praxe também deve ter limites, não lhe fujas mas também não sejas cego e cedas ao excesso. Na praxe vais conhecer outras almas tão perdidas como tu, vais encontrar aquele lado humano que tanta falta faz depois de todo o passado ter “desaparecido”. Contudo tem cautela, pois esse lado humano é mesmo humano e irá te desiludir várias vezes.

2- O passado… presente…

O passado pertence no passado, é apenas uma recordação de quem foste e o que tinhas… é uma bagagem que carregas contigo. À medida que vais fazendo as tuas viagens nesta nova aventura vais te esquecendo de peças pelos “hotéis” da vida… são poucas as coisas que não consegues substituir. Inevitavelmente irás perder o contacto com aqueles que não estão ao teu lado, sejam amigos, inimigos, amores, hábitos, entre outros. À medida que o tempo for passando, volta a ler esta dedicatória e lembra-te, é um novo inicio e não é fácil, mas também não tem de ser mau.

3- O futuro…

Apenas um conselho te posso dar, isto é se ainda não aprendeste até agora… tudo o que fizeres hoje vai mudar o teu mundo amanha. Não percas as tuas oportunidades! Sê um bom aluno, distingue-te do rebanho! Sê um bom companheiro e terás sempre alguém com quem contar. E Sê fiel às tuas decisões, aprende a viver com as tuas escolhas, vais sempre perder e ganhar, afinal de contas “quando Deus fecha uma porta, abre uma janela”.

4- Amores…

Agora que deixas para trás aqueles têm um lugar especial no teu coração, e por mais que queiras acreditar que tudo vai correr bem, tens de aceitar que o mais provável é isso não acontecer. É habitual dizer-se para outras situações “coração que não vê é coração que não sente” o mesmo aplica-se aqui, corações separados deixam de sentir. Guarda com carinho o que fica agora para trás, tenta manter aquilo que realmente é importante o respeito, a amizade. Por vezes é melhor abrir mão que fazer outros sofrer… Não te digo para ires correr e acabar tudo que tens, mas que te prepares para quando acontecer… lembra-te do ponto 2, sê um bom companheiro e não terás de passar por isso sem ajuda.

5- O curso…

Se este não é o que queres, não desistas… aprende o que tens para aprender e sê bom. No final tens a recompensa, podes fazer um mestrado, podes tirar outro curso… Acredita que há sempre novas oportunidades no futuro que hoje não vês…. A mudança é boa, mas tempo perdido em que não ganhas nada é apenas deitar a tua vida fora.

6- Erasmus…

Vai! Segue! Aproveita o que mundo te pode mostrar… Segue as estrelas e sonha… arrisca viver a tua aventura! Apenas faz isso na melhor altura, vai no segundo ano, as equivalências são difíceis e podes ter que precisar recompor a tua vida académica, se fores no fim do curso poderás precisar de mais um ano…

7- Sonha…

Tudo é possível quando te esforças por isso. A tua vida começou agora tudo o que quiseres é possível desde que faças por isso.

Não deixes que os sonhos te fujam das mãos porque não tens a coragem de os agarrar. Tenta apenas te arrepender do que fizeste…

A tua vida está aqui e agora! Tudo depende de ti, sê audaz e mostra-me o melhor que há em ti!

Acredita em ti como eu acredito em ti.

Fiel companheiro,

Anjo da guarda