Arquivo de etiquetas: tempo

Hoplita Vs Biga

Olá Malta!

Decidi hoje iniciar uma rubrica para tentar mudar um pouco o vosso ponto de vista de jogar, aprofundarmos mais o nosso jogo e tentarmos aproveitar o máximo de rendimento a que este jogo nos proporciona!
Hoje decido falar sobre duas tropas tropas que usam o corte que são o Hoplita e a Biga, irei tentar falar na íntegra da sua total função e dos seus prós e contras. Eu espero que gostem

HoplitaBiga
                        HOPLITAS                    VS                          BIGAS

Agora aqui é que fica a dúvida para alguns? Será que devo usar Bigas será que a população compensa? Será o Hoplita eficaz em tudo o que nós precisamos no nosso jogo?

Irei avaliar as tropas pelos seguintes tópicos:

  1. Tempo;
  2. Recursos;
  3. Defesa;
  4. Ataque;
  5. Velocidade & Farm

1. Tempo (nível 16 de quartel)

4 x 0:22:12 Hoplitas = 0:22:12
1 x 0:23:08 Bigas = 0:23:08

  • Aqui decidi estabelecer o gasto em termos de quinta 4Hoplitas=1Quinta, portanto fazendo 4-Hoplitas obtemos mais rapidamente os 4, do que 1-Biga.

Hoplita Ganha!


2. Recurso

4 x (0 Madeira) (75 Pedra) (150 Prata)= Hoplitas<=> 300 Pedra e 600 Pedra= 4 Hoplitas
1 x (200 Madeira) (440 Pedra) (320 Prata) = Biga <=> 200 Madeira, 440 Pedra, and 320 Prata= 1 Biga

  • Neste caso o Hoplita ganha em Recursos Globais necessários para fazermos o recrutamento de Tropas.

3. Defesa

4 x 18I 12C 7A Hoplitas= 72I 48C 28A
1 x 76I 16C 56A Bigas= 76I 16C 56A
Os resultados aqui tornam-se claros: Com 1 biga obtemos +4I(Contra armas de impacto), já com os Hoplitas obtemos mais +32C(Contra armas de Corte), e com as Bigas temos +28A(Contra armas de Arremesso)

  • Neste caso quem ganha é a Biga com larga distância, os Hoplitas são melhor a defender contra armas de Corte.

4. Ataque

4 x 16C Hoplites= 64s
1 x 56C Chariots= 56s

  • Hoplitas ganham em ataque de Corte.

5. Velocidade & Farm

4 x 8 Hoplitas= 32 Carrega em 6 tempo;
1 x 64 Bigas= 64 carrega em 18 de tempo;

 

  • As Bigas carregam duas vezes mais recursos e no triplo do tempo do que o Hoplita.

 

Resumindo:

  • Hoplitas são mais rápidos de treinar;
  • Hoplitas não custam nenhuma madeira, já as Bigas fazem-nos não despender de tanta Prata;
  • Bigas tornam-se melhores para defender em distância e poder, mas os Hoplitas irão esmagar o vosso adversário com a sua espada defensiva. No meu ponto de vista é escolher Bigas para defender.
  • Hoplitas teem um ataque melhor e mais forte.
  • Bigas são melhores que Hoplitas em Velocidade e transporte de recursos.
  • Individualmente, as Bigas são melhores, mas em termos de espaço os Hoplitas deverão ser escolhidos se tivermos com nisso em conta.

As Bigas são muito boas naquilo que eu gosto de chamar “Estado de Emergência”. Conseguimos facilmente recruta-las se tivermos uma boa gestão de recursos diária. No caso de um amigo nosso/aliado da nossa aliança esteja a ser atacado nós conseguimos o mais rápido possível apoiá-lo com a máxima rapidez. Tanto poderão ser utilizados como um apoio, ou ainda podemos utilizar a técnica de cortar a revolta, enviando as Bigas visto serem rápidas a baterem antes do ataque do inimigo efetuando a revolta mais rapidamente que o inimigo e uma vantagem no jogo.
!A VELOCIDADE É TUDO!

Exercício:

Então, digamos que tens 50 Hoplitas e 40 Bigas. Irás atacar com 50-Hóplitas ou o 40-Bigas? Se atacares com os 40 Bigas. Repara para o espaço na quinta, 160 (4 x 40) é melhor do que 50 (Hoplitas) espaço quinta. Tens de tentar perceber que quantidade não é qualidade e a quinta é traiçoeira, acaba por ser ilusão ótica. Então, para unidades correspondem, 40 Bigas é igual a 160 Hoplitas. Os hoplitas são melhores para o ataque, e bigas para def.

Assim, 40 Bigas são melhores do que 50 Hoplitas. Mas pelo espaço de quinta iguais, 160 Hoplitas serão sempre melhor do que 40 Bigas(40 x 4 = 160 população).

Espero ter sido explícito, aguardo comentários sobre o meu Tópico, espero que tenham gostado da minha análise. Irei tentar sempre que possa publicar novas análises na minha perspectiva de jogo.

Artigo de Bicho Bmx

Aniversário do Tribos e do Grepolis ’13

FANTÁSTICO!

A equipa solutions.pt organizou um almoço com as comunidades para festejar, mais uma vez, o 5.º aniversário do Tribos e o 3.º aniversário do Grepolis! Desta vez, no Porto.

Neste aniversário estiveram presentes, da equipa, o Ricardo, o ogait87, o EnteiRocks, a Larkin, a krislete, o Ricardofr, o fersal, o luisphilipus, o Chill Out., o lBOPE, o euu17, o ReD Chaos, a WolfGirl, a goofynas e o InKSane.

Como é tradição o espírito de equipa, este evento não poderia ser contado sem ajuda dos presentes…

Tal como no ano passado os jogadores também foram convidados a participar no evento.

Desta vez, tínhamos como novidade caras novas dos novos moderadores na equipa, como a WolfGirl, uma das primeiras a chegar, enquanto o pessoal se ia juntando aproveitamos para pôr a conversa em dia.

euu17

O motivo principal que me levou a estar presente neste almoço foi o facto de me estar prometido que iria receber um Mac, sim, leram bem, um Mac oferecido pelo Ricardo (com cola e batata frita…).

fersal

A goofynas, logo pela manhã, bem cedinho, fez as orações, despediu-se do cão e dos gatos, vestiu a armadura e seguiu para o encontro com a equipa e os jogadores.

Confesso que estava curiosa para ver quem aparecia e associar algumas caras aos nomes de utilizador.
Por ser no Porto, não havia o stresse do último jantar em Braga e ia confiante que conseguiria perceber que estava perdida antes de chegar ao Castelo do Queijo.

goofynas

O ponto de encontro era o café “Enjoy It”, ao lado da Estrada da Circunvalação.

A WolfGirl chegou mais cedo, porque pensava que ia ter dificuldade em arranjar lugar para estacionar, mas acabou por encontrar um parque quase vazio e o café, que seria o ponto de encontro, fechado.

“Ok, e agora? Vou ficar aqui à espera que alguém chegue…” Passado uns minutos vejo ao longe 3 rapazes. “Será que são? Será que não são da equipa?” Aproximam-se e o Ricardo diz: “Olá.” E eu: “Olá?” E eles apresentaram-se: Ricardo, ogait87 e euu17.

No início estava um bocado envergonhada… Aos poucos foram chegando, alguns com quem eu nunca sequer tinha falado e a esplanada começou a parecer-se mais com o “Mercado da Coscuvilhice”.

WolfGirl

Os novos chegaram bem cedo para “mostrar” serviço.

luisphilipus

Entretanto, outros membros iam-se encontrando no restaurante.

Quando a goofynas chegou ao restaurante encontrou um antigo membro da equipa, o Galrito, que estava num dilema sobre onde amarrar a sua bicicleta. Praticabilidade feminina número 1 by goofynas: “Porque não pedes aos senhores do restaurante para a guardarem?”

Apareceu o InKSane.

Enquanto estávamos em amena cavaqueira a tentar perceber se as pessoas que iam parando no passeio eram jogadores ou colegas que ainda não conhecíamos, o InKSane lembrou-se de ligar a alguém a perguntar por onde andavam. Lá fomos ter com eles a um café [ao suposto ponto de encontro] com uma agradável esplanada e “espetacular” vista para a Circunvalação. Já lá estavam colegas conhecidos e outros por conhecer. É sempre diferente apresentarmos-nos como “goofynas”.

goofynas

Na esplanada…

O Chill Out. tão caladinho… ao contrário do que se passa nas conversas da equipa. O ReD Chaos conversava com o InKSane e o luisphilipus sobre estratégias de guerra e a WolfGirl ficou agradavelmente surpreendida ao reparar que afinal não somos antipáticos.

goofynas

Depois de reunidos, fomos todos para o restaurante, onde já estavam os jogadores à nossa espera – foram identificados pelas lanças e as espadas encostadas à parede.

luisphilipus

A goofynas, o InKSane, o Ricardofr, a namorada do Ricardofr e o luisphilipus puseram-me bastante à vontade a caminho do restaurante e, para mim, foi muito divertido o convívio com toda a gente, em especial com eles. O fersal, o EnteiRocks e o ReD Chaos também foram bastantes simpáticos, mas tive menos contacto com eles.

WolfGirl

No restaurante, novamente para alguns…

Quando chegámos ao restaurante já lá estavam os jogadores, algumas caras até eram conhecidas do jantar do ano passado.

euu17

Já depois de estarmos no restaurante chegou a Larkin com os bolos… por sinal muito bons e com uma decoração a condizer com o motivo da “reunião”.

luisphilipus

Para o lBOPE o evento começou mais cedo, pois começou a jornada até à bela cidade do Porto (lBOPE), um pouco mais cedo que os restantes.

O almoço foi muito agradável, tive a oportunidade de conhecer e de poder conviver com os meus colegas da equipa de suporte do fórum e jogo. Tive também a oportunidade de poder estar com alguns jogadores com quem joguei e ainda jogo. Tínhamos um fotógrafo de serviço, um jogador, que fez questão de tirar fotografias à malta toda. Foi um momento muito engraçado.

lBOPE

O serviço foi bastante bom, volta e meia o senhor empregado aparecia a perguntar se queríamos mais lume que era código para “mais lombo”. Ficou prontamente conhecido como “o senhor do lume”.

Houve bastantes intervalos, o que dava para colocar a conversa em dia com a Larkin, o Galrito e o luisphilipus e por sessões fotográficas deveras irritantes. Mas o responsável (jogador do Tribos) era um senhor bem-disposto e tornava-as menos “torturosas” (ou talvez não)…

goofynas

Depois, durante o almoço lá fomos conhecendo melhor o pessoal, principalmente os jogadores do Tribos, como é claro.

Enquanto aguardávamos pela chegada da krislete, aproveitamos para tirar umas fotografias para a recordação.

euu17

Boa conversa e boa disposição. Ficámos a conhecer melhor o ReD Chaos e a Wolfgirl, que se mostraram bastante simpáticos, foi bom conhecê-los.

Ricardofr

Estavam lá os “suspeitos do costume” , e mais alguns.
Os novos moderadores do Grepolis, alguns deles – os que estavam presentes, pareceram ser bons colegas e vão certamente dar um bom contributo à equipa.
Os outros moderadores, que pessoalmente menos conheço, do Tribos, parecem ser igualmente muito unidos e ativos, contribuíram e bem para uma tarde bem passada entre todos os que ajudam estes jogos a evoluir, e como vemos, para melhor.
Em relação aos “suspeitos do costume”, estão todos no bom caminho, são uns “tinhosos”,  somos amigos, é mais do mesmo, que mais se pode dizer…

InKSane

Fiquei bastante surpreendida com a forma de ser dos membros da equipa, acho que são todos incrivelmente acessíveis e simpáticos, foi o que mais me surpreendeu. Ao longo de todo o almoço não faltou assunto de conversa, toda a gente com boa disposição, piadas não faltaram, e histórias divertidas também não.

WolfGirl

A escolha da sobremesa também tinha deu pano para mangas…

O Ricardo, com a sua voz de comando, comunicou-nos “Aqui é molotov!” ao que prontamente entendemos que era para escolher molotov. Quando o empregado de mesa recolheu o pedido do Ricardo, informou-o de que já não havia molotov. Pelo que houve um urgente rearranjo de pedidos de sobremesas.

goofynas

O almoço decorreu com “normalidade” até à sobremesa, onde o “respeito” foi notório.
Ricardo: “Eu vou comer molotov!”
Os moderadores do Grepolis uns para os outros:
– O Ricardo disse aquilo porque tem de ser molotov para todos?
– Em caso de dúvida… “Molotov”!
Todos escolhiam molotov, até que ficamos a saber que não era “sobremesa obrigatória”, antes pelo contrário, só haviam 2 molotov’s… (UPS)
Lá tivemos de escolher outra sobremesa… (ainda bem, não gosto de molotov… :D)

 luisphilipus

 A sobremesa prosseguiu com outro ponto alto… 

A odisseia do Galrito na sua “matança de formigas”.

luisphilipus

Durante o almoço fomos brindados com a tática do Galrito para matar formigas. Uma coisa posso garantir, no decorrer da história, por mais ideias idiotas que déssemos, não suplantava a realidade.

goofynas

Um dos meus momentos preferidos foi quando o Galrito contou a história de quando ele “catapultou” as formigas para as tentar matar até perceber que não ia conseguir e a Larkin atender o telefone e explicar-lhe como se devia livrar das formigas…

WolfGirl

O momento mais engraçado para mim foi quando o Galrito contou como se livrava das formigas, com fósforos. Essa, sem dúvida, foi a melhor parte do almoço, ri-me a perder. O convívio foi do melhor. Toda a equipa, Grepolis e Tribos, era excelente. Espero que se façam mais convívios destes.

ReD Chaos

Outro foi quando o InKSane contou que passados dois dias de começar a jogar Lagoonia, entrou no jogo e apareceu-lhe uma personagem do jogo grávida, então ele fez logo Alt+F4 e não voltou ao jogo, com medo que ela lhe viesse pedir o dinheiro para sustentar o puto. (Isto contado por ele tem muito mais piada…)

WolfGirl

Após a aguardada chegada da krislete… BOLOOS!

Entretanto, chegou a krislete e podemos passar aos bolos. Bonitos, bem doces e prontos a ser devorados pelos guerreiros presentes.

O primeiro bolo a chegar foi o do Tribos… um guerreiro careca de lança na mão e com ar de corajoso. Mas assim que viu a entrada do Zeus ficou “partido em dois”… foi isso ou a Larkin…

luisphilipus

Foi pena a krislete chegar tarde e não ter almoçado connosco, mas ainda bem que chegou a tempo do bolo, porque adorei vê-la e à Larkin a abrirem os bolos. Foi muito engraçado ver as duas muito compenetradas a tirar os agraves com muito jeitinho e o Ricardo aparecer com a tesoura para cortar os plásticos…

WolfGirl

O final do almoço foi coroado com 2 magníficos bolos com a figura do Paladino do Tribos e de Zeus do Grepolis.

A Larkin matou saudades dos seus tempos de jogadora, cortando as pernas ao Paladino e trespassando-o com a lança. Enquanto que o lBOPE mostrou como se destrói uma muralha, devorando-a. Zeus aguentou firme e hirto até ao fim da celebração.

goofynas

As primeiras despedidas…

Depois de mais umas quantas brincadeiras, piada para aqui e para ali… chegou a hora de sair do restaurante.

luisphillipus

Quando (finalmente) saímos do restaurante, o Galrito foi brindado com a segunda praticabilidade feminina do dia, desta vez by krislete.
Galrito: “Que faço à bicicleta? Vou pô-la em casa? Amarro-a ao poste?”
krislete: “Porque não pedes para a deixar aqui e vens buscá-la amanhã?”

goofynas

E tivemos as primeiras baixas, e de uma estreia, que se foi embora, mas com um sentimento de orgulho para todos.

O que eu mais gostei do almoço do Grepolis e do Tribos foi de conhecer o pessoal, tudo pessoas 5 estrelas. Foi uma boa tarde passada na companhia de pessoas muito engraçadas e simpáticas.  E também da comida, estava deliciosa, como as sobremesas e as entradas.

Quem me surpreendeu foi o InKSane, nunca pensei que ele fosse assim uma pessoa tão agitada e sempre pronto para a “borga”, gostei de conhecê-lo.

As minhas expectativas foram as melhores, diverti-me com o pessoal, foi um almoço bem passado, com boa gente.

ReD Chaos

No final, posso dizer que correu tudo bem, pela parte dos jogadores, pois não estavam armados, mas antes com os dentes desarmados com tanta fome por estarem à nossa espera há muito tempo. Agora quanto ao menu prometido pelo Ricardo, esse foi uma deceção…

fersal

Nova etapa!

O passeio programado foi para um bar em Leça da Palmeira – “Bar da Memória”. Aí, estivemos todos reunidos, seja na conversa, seja nos jogos de cartas.

 luisphilipus

Ao fim do almoço fomos todos até Leça da Palmeira onde durante a viagem, quando perguntava ao Galrito: “Estas a ver o Ricardo?”, ele dizia “Sim, sim, vai ali a frente!”, mesmo quando ele já não ia à nossa frente…

Uma vez lá no bar, houve quem se entreteve a jogar póquer, outros Monopoly Deal e outros, como eu, a ver o jogo do Barcelona.

euu17

Fomos ter um bar muito “bacano”, juntinho ao mar, com música ambiente. Passámos lá um bom final de tarde, foi pena não haver la uma mesinha de matraquilhos ou uma maquinazinha de setas, mas foi também muito interessante. Tivemos também a presença de alguns dos jogadores que foram ao almoço.

 lBOPE

Ainda fiz um “All In”, enquanto outros jogavam aquela cena do… “Rhh Rhh… Luke i’m your father… Rhh…”, lá da guerra das estrelas…

InKSane

De que é que estás a falar, InKSane?! Vá, a goofynas e o luisphilipus explicam…

Além da boa conversa, algumas pessoas dedicaram-se a um feroz jogo de póquer. A krislete e o ogait87 dedicaram-se a um jogo de cartas que tinha regras tão estranhas como “a carta X vale Y, mas se for à segunda-feira, as terças e quintas vale Z, mas só depois do pôr-do-sol, senão vale K mas se estiver associada à carta W” (obviamente, não prestei grande atenção às regras).

goofynas

Um dos jogos em causa nunca tinha visto, e a única coisa que aprendi é que as regras mudam a meio do jogo, literalmente!

 luisphilipus

…ou então, não, não explicam.

Depois de um tempo a olhar (aborrecidamente) para o jogo de póquer, desafiei a Larkin a pegar num dos vários baralhos que tinha trazido e vir jogar. O escolhido foi Monopoly Deal. O início foi meio tremido, depois de 5 minutos a tentar perceber as regras, desviámos o ogait87 para nos vir explicar como jogar. Quando finalmente começámos a sério (a primeira vitória da Larkin não conta) a namorada do Ricardofr conseguiu ganhar um jogo. Perante a nossa incredulidade verbalizada com um “Deixa ver…”, desabafou:
– Porquê que ninguém acredita em mim?

Os jogadores foram saindo de mansinho (ou nós é que estávamos absorvidas no jogo). Quando a Larkin reparou que só restavam membros da equipa, perguntou:
– Quem é que baniu os jogadores todos?

 goofynas

Seguiu-se o jantar em Famalicão

Há noite, já só com os membros da equipa, fomos jantar a Famalicão, e lá é que deu para conhecer melhor a equipa. Tive um contacto mais direto e falei mais à vontade. Depois do jantar, antes de irmos embora, na altura do café, criou-se um debate muito saudável entre o EnteiRocks e a Larkin sobre a tourada, e mais tarde evoluiu para um tema um pouco diferente, “Pessoas vs. Animais” – foi muito engraçado porque ambos tinham argumentos bastante válidos.  Houve muitos outros temas, muitas risadas, muitas mesmo, e gostei imenso.

lBOPE

O restaurante era agradável, a companhia ajudava (a sangria também). Apesar de quando a krislete se sentou queixou-se que a tinham deixado sozinha (na ponta da mesa), mas revelou-se uma localização excelente, porque o empregado colocava tudo à sua frente, inclusive os jarros de sangria.

goofynas  

E entre conversas e comida, lá se foi passando o tempo a voar, até que muito educadamente nos mandaram embora do restaurante porque queriam fechar.

euu17

A conversa prosseguiu animada, tão animada que fomos os últimos a sair do restaurante. E acho que só saímos porque mais uma vez “tivemos de sair” (2 em 2, não perdoamos… :D)
O Ricardo, num ato de gentileza diz ao empregado:
– Quando quiser fechar, diga.
– Já estamos nas limpezas, só falta vocês saírem. (UPS)
E pronto, depois disto lá saímos… mas quais sobreviventes, ainda nos mantivemos “à tona da água”, e permanecemos na mais amena cavaqueira no exterior durante pelo menos mais uma hora.

luisphilipus

O que fica…

Mais uma vez foi um encontro bastante agradável e foi bom conhecer os jogadores (lendários) do Tribos. Tive alguma pena que os jogadores de Grepolis não tivessem aderido a esta iniciativa. Entre os colegas que entraram recentemente na equipa, foi uma oportunidade para nos conhecermos melhor e verificar que somos todos relativamente “normais”.

goofynas

Mais um encontro, cheio de coisas boas e onde o espírito da equipa ficou bem patente. A continuar assim, ninguém nos pára e seremos cada vez mais e melhores!

luisphilipus

A desilusão maior foi não terem aparecido jogadores do Grepolis, isso acabou por entristecer um pouco.
Em resumo, foi um almoço muito divertido e foi um prazer conhecer todos pessoalmente. Só tenho a agradecer por me receberem tão bem e me porem completamente à vontade.

WolfGirl

E assim finalizou mais um encontro, como de costume, muito agradável e aguardar até que outros venham.

euu17

Chegou a horinha de ir embora, e posso dizer que adorei o dia por completo. Há malta que não foi, e falo em concreto dos outros novos moderadores, como eu, mas acho que foi muito importante este contacto “cara-a-cara” com a equipa e perderam um grande dia.

lBOPE

Sem dúvida uma experiência única e inesquecível. Apesar de ser a primeira vez, todos se mostraram atenciosos e incentivaram-me a dialogar um pouco mais com eles. Fiquei a conhecer um pouco mais de todos os que se encontram para lá do ecrã, com quem todas as noites temos conversas fiadas.

Encontrei também colegas e amigos de alguns mundos do servidor português, com quem compartilhei experiências adquiridas ao longo destes anos.

É com orgulho que digo que nunca esquecerei este dia.

 Chill Out.

Foi uma uma boa experiência. Malta porreira e os bolos fenomenais.
Aguardo pelos próximos e espero estar lá outra vez e, se puder, até ao fim 😉

InKSane

Foi um encontro cheio de boa disposição, como de costume. Foi bom conhecer os jogadores do Tribos e, felizmente, a equipa Grepolis compareceu em força para contrabalançar os números.

Espero que o próximo aniversário seja tão ou mais divertido que este e obrigado a todos por este bom momento que passámos.

Ricardofr

Vejam como foi o convívio, seguindo as nossas páginas no Facebook:
http://www.facebook.com/solutions.pt
http://www.facebook.com/Tribos
http://www.facebook.com/Grepolis.PT

A equipa solutions.pt deixa um especial agradecimento a todos os membros e jogadores presentes por mais um excelente e inesquecível aniversário e que, para o ano, possamos contar com a vossa presença e de mais!

Tribos: antes e agora, por kempokamoritz

Olá, comunidade!

Venho-vos apresentar uma “crónica”, uma espécie de túnel do tempo. Iremos relembrar os tempos antigos do jogo, o tempo onde não existia nada do que existe agora, inclusive, o recrutamento em massa, que era uma simples miragem ao fundo do túnel…

O que mudou do começo para cá?

Muitas coisas mudaram, todos os “antigos” sabem.

O recrutamento em massa, como já foi dito, tão utilizado por nós, trouxe a mudança e sem ela o sistema de renomeação de ataques simplesmente não existia – e poucos de nós conseguiriam renomear os ataques recebidos. Falo dos tempos de viagens, nos detalhes de ataques recebidos. Também a renomeação de comandos enviados, foram das primeiras e grandes mudanças do Tribos.

E os acampamentos militares, alguns ainda tiveram a oportunidade de experimentar as suas funcionalidades. No início foi esperado por muitos jogadores, pois, finalmente, os jogadores ofensivos tinham alguns benefícios. No entanto, devido ao motivo que levou à sua implementação não ter sido o que os desenvolvedores tinham em mente, não teve o sucesso esperado. Foram retirados.

O famoso Sistema de Reservas foi um grande passo para o Tribos. Toda a gente conhece, toda a gente precisa. Lembram-se do tempo das milhentas secções no fórum, onde reservávamos as aldeias à mão? Divididas por continentes e/ou tribos adversárias, mais as bárbaras… Que confusão! Mas agora já não.

As célebres medalhas são mini metas que os jogadores vão alcançando, sejam sprinters ou endurances, há para todos os gostos. Ao longo do tempo, várias e novas medalhas foram adicionadas e, sobre elas, um ranking de quem tem mais pontos com as medalhas. Isto é uma opção que não deixa a competição esmoronar-se, ao ver-se quantos nobres já conseguiram matar, quantas tropas por dia, …, e para se mostrar mais ativo ou melhor estratega, comparando as medalhas de saqueador, diárias e não-diárias.

Como é que as mudanças afetaram a forma de jogar?

Todas as ações têm consequências e as mudanças táticas de jogo, com as novas implementações, não foram diferentes.

Desde que a redução do tempo de evolução de um edifício foi implementado, quem não faz uns cortes? Considera-se isto uma mudança de tática, pois aumenta a rapidez da evolução. O corte nos custos, também não foi exceção.

Mas, na totalidade, com este tipo de implementações a estratégia em si não mudou, desenvolveu-se. Desenvolveu-se, pois aprende-se, melhora-se com o tempo de jogo, todos os jogadores, mesmo que já joguemos isto há anos, há sempre algo a aprender.

Quais os pontos positivos? E os negativos?

Como tudo e como em tudo, há sempre pontos positivos e negativos.

O jogo, antigamente, era muito menos rápido, muito mais manual. Contava o tempo online, a pura estratégia do jogo, coisas que muitos de nós gostavam que voltassem a existir. Quando se farmava sem a facilidade de scripts ou do Assistente de Farm, era o mais paciente o melhor do mundo. Agora jogamos em co-play, o desenvolvimento da estratégia que nos leva a novas formas de jogar para combater contra quem utiliza outros recursos que substituem a sua paciência. Antes a estratégia fazia do jogador o mais temido, agora mais do que sempre, o tempo vale ouro.

Tudo evolui por necessidade, ou por opção, para melhores resultados. Mas há sempre algo que se torna justo para ambos os lados e, principalmente, que devolve de flores, para pequenas e frágeis sementes, com cuidados necessários, para se tornar algo bonito, capaz de iluminar o mundo e mostrar uma nova era.

O Tribos era mais disputado antigamente ou tornou-se agora mais competitivo?

Muitos jogadores, vários estilos de jogo, várias ideologias do que será o melhor, 2 únicas opções possíveis: antes ou agora?

Naquele diferente tempo, horas a fio passadas online no jogo, no MSN, Skype e até por telemóvel, a decidir os próximos movimentos, a combinar as horas para os apoios… Movimentos lindos, que tornavam uma equipa num único jogador com uma força espantosa.

Com os planeadores que nos mostram as horas a que temos de estar online para coordenar-mos um ataque, o Gestor de Conta que nos avisa quando recebemos um ataque, ou até uma mensagem. Tudo isto reduz o tempo necessário online e deixa a balança mais equilibrada para outro tipo de jogadores.

Mas tudo muda, tudo evolui. Estas são as diferenças dos tempos antigos, comparados para os tempos de agora.

Cada jogador tem a sua opinião, como disse: “muitos jogadores, vários estilos de jogo, várias ideologias do que será o melhor, 2 únicas opções possíveis”.

Obrigado pela leitura e bom jogo para todos os Tribalistas.

kempokamoritz 

1 mês no Mundo 2…

A 04/04/08 abre o Mundo 2…mundo conhecido por ser rápido. Aqui tudo evolui depressa, desde edifícios, tropas, guerras…mas como será que se porta este mundo num mês de férias? Será que tudo pára? Ou será que existe acção e conquistas?

 

O objectivo deste artigo é precisamente apresentar a evolução do mundo 2 durante o mês de Agosto.

 

No mapa que se segue poderão visualizar o estado do mundo 2 a 31 de Julho e a sua evolução até ao dia 31 de Agosto.

 

Como se pode constatar, durante o mês de Agosto, a PAX conseguiu ganhar terreno não só à WW*RIP como também à Fim. Esse avanço é mais notório na zona sul do mundo. Uma questão que se coloca é, se de facto esse avanço é assim tão significativo dada a dimensão da Família PAX face às restantes tribos…

 

Tudo aponta para que o vencedor deste Mundo seja de facto a Família PAX, mas quando irá isso acontecer? Será que irá mesmo acontecer? Ou haverão mudanças? Quantos meses faltarão para o fim deste mundo?

 

Estas são algumas das perguntas que serão respondidas ao longo do tempo…

 

Afinal parece que no Mundo 2 não há férias, nem para as tropas…este mundo de facto é um mundo em constante evolução.

 

Espero que tenham gostado.

 

chisum, um jogador do Tribos alemão


chisum
é um jogador do Tribos alemão.

1. Olá, chisum! Obrigado por nos dar esta entrevista. Para iniciar, pode contar-nos um pouco sobre a sua carreira no Tribos?
A minha carreira activa não é grande, comparadamente à de outros jogadores. Comecei algures no fim de 2004/início de 2005, quando um conhecido me perguntou se queria jogar com ele. Comecei a jogar tão depressa como ele me convidou, e estava com uma conta no mundo 3, onde permaneci por um ano e meio, até ter de desistir devido ao tempo limitado. Mas o “vício” era mais forte e, depois de alguns breves momentos no .de 6 e .de 10, na Primavera de 2007, juntei-me ao .de 12.
Deve ter sido por volta do fim de 2009/início de 2010 que muitos companheiros da tribo tiveram de desistir, devido à escola ou questões relacionadas com o trabalho e, lentamente, comecei a abandonar também – sem eles, deixava de ser o jogo que eu queria jogar.
Ocasionalmente, fui jogando, embora muito pouco, no .de 15 ou .de 16, e até cheguei a jogar no servidor espanhol, apenas para tentar coisas novas. Jogar em mais do que um mundo não era possível, para mim, por causa do tempo que é preciso, mesmo que o meu trabalho me permita jogar a qualquer altura do dia.
Então, quando abriu o BETA, no último ano, voltei a ficar viciado. Desde então, posso ser encontrado aí ou em qualquer conta no servidor alemão, se um antigo conhecido necessitar de um babysitter ou se eu precisar de uma conta maior num “ambiente em directo” para “testar” alguns erros ou recursos que encontramos no BETA.
Também estou envolvido num projecto fora do Tribos normal, ao qual me juntei há dois ou três anos – ainda que a nova versão não esteja a avançar tão rapidamente quanto eu gostaria, devido a falta de tempo.

2. Qual acha que é a estratégia mais útil no início do jogo?
A minha estratégia tem um nome simples: actividade. Na minha opinião, para ter sucesso, é preciso ser-se muito activo – pilhar, recrutar constantemente tropas ofensivas, manter os vizinhos fracos, construir a academia o mais rapidamente possível e conquistar uma segunda aldeia (com boa população e que valha a pena) a uma distância apropriada da aldeia original. Isto leva a um crescimento automático, dado que agora se tem mais tropas para saquear outras aldeias, entre outros. Os pontos vêm sozinhos, mesmo que as minas não sejam evoluídas.

3. E quais são as maiores armadilhas para os novatos?
Infelizmente, ainda há algumas para os iniciantes. A mais problemática, no meu ponto de vista, é o par inexperiência e inactividade. O Tribos é um jogo que qualquer um pode aprender a jogar com relativa facilidade.
Os novos jogadores juntam-se ao jogo, mas subestimam o factor actividade, que, como disse acima, é crucial.
Além disso, a maioria deles não se importa com a ajuda da Wiki, tutoriais, entre outros. Por isso, evoluem as suas aldeias à custa das tropas, ficam felizes se os pontos continuarem a crescer, constroem aldeias mistas e, assim, tornam-se fornecedores de recursos para os vizinhos, muito rapidamente.
Muitos cometem o erro de esperarem por um mundo novo, para começarem, pensando que, se forem dos primeiros a juntarem-se ao mundo, têm mais hipóteses de sucesso. Na minha opinião, tem mais lógica começar num continente mais afastado, tentando entender algumas coisas para conseguirem perceber o básico ou alcançarem a ideia-base do jogo. Nunca se devem desmotivar por serem constantemente atacados, porque há sempre formas de contra-atacar.

4. Acabamos de falar do início do jogo. Mas, mais tarde, que estratégia segue e por que razão?
Numa situação mais avançada, penso que o vigor e a paciência são as melhores estratégias. As frentes estão, normalmente, bloqueadas, fazendo com que, frequentemente, não valha a pena atacá-las directamente.
Por isso, é necessário desgastar o inimigo através de ataques constantes e de grandes dimensões. O ego do jogador ou a classificação deve ficar para segundo lugar, caso perceba que pode beneficiar a tribo.

5. Qual é a importância dos outros jogadores e/ou da tua tribo nesta estratégia?
No início, podes manter-te seguro a solo. Mas, mais tarde, torna-se impossível fazê-lo, sem uma tribo ou amigos co-players. De outro modo, podes baixar os braços e assistir a tua conta a ser levada pelo inimigo. Ou seja, sem uma tribo funcional, nem a melhor estratégia é suficiente.


6. O que pode dizer-nos sobre a sua unidade preferida?

Todas as unidades têm prós e contras. Escolher uma favorita é difícil – no final de contas, a combinação    das unidades é a chave para o sucesso. Não se agarrem a uma unidade favorita.


7.
Vamos tentar não o fazer! E qual é o significado do seu nome de utilizador, para si?
Sinceramente, não tenho uma ligação com o meu nome. Dado que não tenho qualquer criatividade nesse aspecto, escolhi, simplesmente, o título do filme que estava a dar na televisão, quando procurava um novo nome para o .de 12. Ainda o uso, para não ter de decorar muitos nomes e palavras-passe. Mas não posso dizer que gosto dele, na realidade.

8. É um utilizador de Conta Premium?
Obviamente. A Conta Premium facilita a gestão da conta e ajuda a reduzir o tempo necessário, para que, em vez disso, nos possamos focar nas partes essenciais do jogo. Até um certo tamanho, consegue-se gerir tudo sem Conta Premium, mas, mal os ataques em massa começam a chegar, torna-se stressante.

9. O que considera mais desafiador, no Tribos?
O maior desafio, para mim, foi encontrar formas e caminhos para destruir os inimigos com a ajuda dos companheiros de tribo.

10. O que mais aprecia no jogo?
Se se olhar para o motivo pelo qual desisti, inicialmente, deve tornar-se óbvio: a comunicação e companheirismo na tribo são muito importantes para mim.

11. E, por fim, mas não menos importante, pode recomendar um tipo de música em particular, para ouvir enquanto se joga Tribos?
Para mim, depende da altura do dia, e mesmo do estado de espírito. Eu, normalmente, prefiro ouvir a minha estação rock de rádio preferida, mas, também, algo relaxante, como música clássica. É um contraste forte e interessante, mas é bastante agradável.

Põe a conversa em dia no Grepolis

Grepolis chat

Longe vão os tempos em que para se comunicar em tempo real com os nossos amigos de jogos online teríamos que recorrer a clientes de IM (Mensagens instantâneas) externos, complexos, fora de contexto do jogo e que, por vezes, até se poderiam tornar perigosos para a própria privacidade, bem como para a segurança do nosso jogo.

Pois bem, numa forma de combater toda essa necessidade apelada por muitos jogadores, o Grepolis presenteou-nos com um novo sistema de mensagens (Chat) incorporado no ambiente de jogo.

A simplicidade e a fácil e intuitiva utilização deste, aliada ao excelente enquadramento na arquitectura do ambiente de jogo, torna a utilização desta ferramenta útil e indispensável para o desenrolar do plano de jogo. Organização de comandos de jogo colectivos, conversar com os aliados, poderá fazer agora parte do quotidiano de jogo.

Grepolis chat

A actual versão de chat (Lançada em conjunto com o update 1.18) permite o contacto conjunto com os elementos pertencentes a uma aliança num mundo de jogo, permite ainda a mutação de posicionamento e comportamento do ambiente do chat na área de jogo. É de referir e não esquecer que esta ferramenta (Chat) encontra-se numa fase ‘Beta‘, o que significa que está a ser testada com vista a melhorias na utilização, bem como a possibilidade de serem acrescentadas novas funcionalidades, situação que também não é estranha aos nossos mais fieis jogadores que já estão certamente habituados às constantes inovações e melhorias que a Innogames, de forma contínua, vai efectuando em todos os seu produtos existentes no mercado.

Até lá, desejo-vos boas conversas e a continuação de um óptimo e guerreado jogo.

A equipa & os (des)encontros…

001A equipa de suporte por cada centena de milhares de bloqueios de contas, insultos processados, solicitações de suporte respondidas, cartões no fórum, tópicos removidos e todas essas coisas que parecem que irritam alguns dos jogadores precisa de espairecer um pouco… e por esse mesmo motivo acabamos por marcar aquilo que chamamos de encontros da equipa.

E pelas próximas linhas de prosa  sem grande sentido irei dar a conhecer um pouco da equipa de suporte como um grupo (de amigos) unido capaz não só efectuar as suas funções de forma profissional, mas também serem uns animais de festa quando nos é possível.

Então o que são os tais encontros de equipa e porque um artigo sobre isso?

team-01Na realidade é quando nos encontramos pelo puro prazer da “jabardice”, estamos todos proibidos de levar um computador e falar sobre o trabalho é a ultima coisa que se quer… porque escrever um artigo sobre isso? honestamente não sei… quase que foi obrigado a tal proeza uma vez que à bastante tempo que não escrevia no jornal e já acumulava algumas reclamações que este era agora algo que se dividia entre os céus e os infernos (da coluna D&A).

Essa é uma das desculpas, a outra acaba por ser relatar alguns dos momentos interessantes e o baptismo de fogo de muitos novos elementos da equipa. Este ultimo evento costuma ser imortalizado nos cognomes de quem todos os dias se esforça por trazer a resposta correcta aos utilizadores e lidar com situações complicadas.

Lembro-me de alguns cognomes que ficaram imortalizados como Discreto (Aveiro’09), Arigato (Braga’09), PME-I (Porto’09), El Diario da Batatinha (Lisboa’09), Içador (Famalicão’09), entre muitos outros.

Os nossos encontros tem como principal objectivo a diversão máxima e por tal motivo eles correm todos os meses em locais diferentes (de Famalicão) todos os meses.  Isso e naturalmente promover uma base solida de confiança entre os membros da equipa, afinal de contas já li por ai que não à nada como um bom cara-a-cara.

A equipa de suporte diverte-se?

team-02Por incrível que pareça, SIM e muito. Somos um grupo de bem dispostos e se a felicidade passa por sermos pessoas bem-dispostas, bem… vou quase tão longe como dizer que é o equivalente a terapia de grupo da boa disposição e suficiente para se poupar uns trocos da cadeira de um psiquiatra.

Mas às vezes também temos os nossos momentos menos famosos, porém o importante é que por mais triste que seja o momento a nossa boa disposição nunca acaba e conseguimos nos rir um pouco mais disso tudo…

Para compreender melhor o que é um encontro da equipa, é importante lembrar que a grande maioria da equipa tem mais de 20 anos e menos de 60 anos. Quer isto dizer que já somos quase todos uns adultitos que andam por aqui perdidos a tentar desencaminhar os mais velhinhos e ao mesmo tempo a tentar nos comportamos e mostrar respeito por estes. E acreditem que isso não é fácil às vezes.

Uma das historias que até hoje me faz rir como um perdido, é a aposta que fiz com o Nuno. Apostamos que ele teria de dançar num bar com uma rapariga de quem ele não gostava mesmo nada. Mas isso só aconteceria se eu conseguisse convencer a rapariga do bar a dançar em cima do balcão. No final as danças acabaram por acontecer, agora fica à imaginação de cada um quais a situações ridículas que tanto o Nuno como eu tivemos de passar… de tal forma que em alguns sítios a vergonha de lá entrar é mais forte que a vontade.

Concluo aqui a primeira parte de varias sobre alguns dos mistérios da equipa de suporte.

We want you!

we-want-you

Mais uma vez abrimos as candidaturas a voluntários para o suporte.

Após a última rodada, encontramos varias pessoas que tem vindo a contribuir activamente para o desenvolvimento da comunidade. Neste momento queremos expandir a nossa equipa e trazer novos membros para a nossa família, pessoas dinâmicas e interessadas em fazer a diferença. Porém, pedimos a todos para antes de submeterem a vossa candidatura para terem em consideração que é importante perderem algum tempo na escrita da mesma, temos em grande estima qualidades como,

  • Capacidade de escrita,
  • Vontade de participação,
  • Pessoas assertivas,
  • Vontade de integrar uma das equipas mais divertidas que anda na internet,

candita-se aqui: http://team.tribos.com.pt/candidaturas/ Sinceros votos de vos encontrar na equipa. Ricardo, Administrador de Comunidade

Operação de limpeza

Neste mês a equipa de suporte decidiu por um ponto final em algumas de varias irregularidades detectadas por pessoas que partilhavam a mesma ligação (inclusive modo de ferias/substituição). Assim resultou em mais de 10000 jogadores banidos em menos de uma semana.

Como resultado desta experiencia foi possível concluir que muitos jogadores e tribos não consultaram as regras e não compreendem que não existem excepções às regras do jogo.
Assim, como nota final sobre este assunto gostaria de deixar claro que não foi investigada uma tribo em especifico de nenhum mundo, mas foram revistas todas as contas; da mesma forma que o processo de investigação utilizado foi 100% infalível.

Porém, ao mesmo tempo que após uma semana de 24/7 de suporte a apelos verificamos que mesmo com 2 bloqueios vários jogadores repetiram as mesmas infracções num intervalo inferior a 24h e por este motivo foram banidos dos jogo definitivamente.

Acrescento ainda, que deste momento em diante as punições serão mais severas e haverá um controlo ainda mais apertado a este tipo de infracções e outras.
Continuação de um bom jogo (com Fair-Play),
Ricardo, Administrador de Comunidade